Base do Samu volta a funcionar no Rádio Clube, em Santos

Foram investidos R$ 45,2 mil para a reestruturação da alvenaria, além das estruturas de elétrica e hidráulica

Comentar
Compartilhar
18 OUT 2018Por Da Reportagem18h02
O local havia sido alvo de furtos e depredações que impediram a continuidade do serviçoFoto: Divulgação/PMS

A Prefeitura de Santos reativou hoje (18) a Base do Samu no bairro Rádio Clube. O local, inaugurado há quatro anos, estava fechado desde o início do ano, depois de sofrer saques e depredações que impediram a continuidade do serviço.

Localizada na Praça Jerônimo La Terza, s/nº, a base é um ponto estratégico para o atendimento dos chamados da Zona Noroeste. Duas ambulâncias ficarão de prontidão 24 horas por dia. As equipes vão trabalhar em turno de doze horas, cada uma será composta por dois condutores e dois técnicos de enfermagem.

“Vamos diminuir o tempo de resposta para os bairros da Zona Noroeste e a população vai poder visualizar as forças da saúde trabalhando onde o morador está presente”, declara o secretário de Saúde, Fábio Ferraz. “Esta unidade tem importância fundamental para dar mais agilidade ao atendimento do Samu”, ­completa.

De acordo com o médico e coordenador geral do Samu Santos, Luiz Carlos Espindola Júnior, o Samu recebe cerca de 1.300 chamados por mês da Zona Noroeste. “Uma das funções da proximidade da base à comunidade é facilitar o nosso tempo de resposta. Hoje, os chamados de alta prioridade são atendidos em até oito minutos. A base estando próxima facilita o trabalho”, diz.

Manuel Constantino, vereador e presidente da Sociedade de Melhoramentos do Rádio Clube, foi um dos que lutou para a reativação da base. “O posto estava funcionando bem até sofrer o saque. Foi uma luta para implantar e uma nova luta para reativar, mas estamos otimistas”, declara.

Para a reabertura do local, foram gastos R$ 45,2 mil. Em uma próxima etapa, o local será cercado com grade. Para isso, será utilizada emenda parlamentar do vereador Constantino, no valor de R$ ­30 mil.

Outras bases

Santos possui outras nove bases do Samu: Nova Cintra (Av. Santista, 1.308), Caruara (Rua Andrade Soares, s/nº), São Manoel (Praça Nicolau Geraigire, s/nº), Encruzilhada (Rua Barão de Paranapiacaba, 241), Hospital de Pequeno Porte (Av. Cláudio Luiz da Costa n.º 280), Castelinho (Praça Andrade Neves, 14 – Vila Nova), Bombeiros na Ponta da Praia (Rua Prof. Olavo de Paula Borges, 37), Pronto Socorro da Zona Leste (Av. Afonso Pena,382) e Complexo Hospitalar da Zona Noroeste (R. Min. Agamenon Magalhães, s/nº).

O Samu realiza cerca de quatro mil atendimentos mensais em toda a Cidade e conta com 180 profissionais, 15 ambulâncias e uma motolância.

Quando acionar o Samu (telefone 192 – chamada gratuita)

- Problemas cardiorrespiratórios

- Situações de intoxicação (produtos químicos, veneno, medicação)

- Queimaduras graves

Afogamentos (em conjunto com o Corpo de Bombeiros – 193)

- Na ocorrência de maus-tratos (em conjunto com a Polícia Militar - 190)

- Trabalhos de parto com risco de morte da mãe e do feto

- Crises hipertensivas

- Acidentes/trauma com vítimas (em conjunto com Bombeiros – 193)

- Tentativa de suicídio (em conjunto com PM – 190 ou Bombeiros - 193)

- Surtos psiquiátricos (em alguns casos, em conjunto com PM – 190)

- Violência sexual/ agressão (em conjunto com PM – 190)

- Choque elétrico (em conjunto com Bombeiros – 193)

- Acidentes com produtos perigosos (com Bombeiros – 193)

Orientações

- Em caso de acidentes com trauma, deve-se deixar a vítima como foi encontrada e acionar o Samu, procurando isolar o local.

- É preciso manter a calma para passar os dados ou pedir para alguém mais próximo, em condições equilibradas, para transmitir as informações.

- Não passar trotes.

Colunas

Contraponto