Barco-escola chega à Bertioga nesta quinta-feira

A embarcação, uma chalana com capacidade para 40 pessoas, ficará estacionada na garagem da Marina do Forte.

Comentar
Compartilhar
02 NOV 201209h40

O prefeito Mauro Orlandini e uma equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente recepcionaram na tarde de ontem, a chegada do barco-escola ao Município, que prevê diversas atividades de conscientização ambiental pelo Rio Itapanhaú e Canal de Bertioga, com alunos da rede pública da Cidade e Região.

A embarcação, uma chalana com capacidade para 40 pessoas, ficará estacionada na garagem da Marina do Forte, localizada à margem do Rio Itapanhaú, de frente para a Rodovia Rio Santos, no Km 224,5, próximo à entrada da Cidade, aguardando as providências para registro, inspeção, que deverá ser feita na próxima semana, e autorização da Capitania dos Portos para ser utilizada.
 
De acordo com a chefe do Setor de Fauna e Flora da Prefeitura, Mylene Lyra, o ponto alto do projeto será a primeira aula inaugural pelo leito do Itapanhaú, em dezembro, com alunos da rede municipal de ensino. 
 
Antes, no final de novembro, quando toda documentação já estiver regularizada, o barco será colocado na água, oportunidade em que será apresentado aos prefeitos, secretários de Meio Ambiente, de Educação e de Turismo da região da Baixada Santista, Litoral Norte e Alto Tiête para conhecer o equipamento e usufruir de um passeio pelo Rio Itapanhaú e Canal de Bertioga.
 
O ponto alto do projeto será a primeira aula inaugural pelo leito do Itapanhaú (Foto: Divulgação)
 
O barco-escola, adquirido com recursos do Fundo Estadual de Recursos Hídricos (Fehidro) é um projeto da equipe de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente, apoiado pelo Sesc Bertioga, visando proporcionar uma vivência sobre a importância das florestas presentes nessas áreas, popularmente denominadas de matas ciliares, para fauna terrestre e aquática nativas do Município, para a qualidade das águas e para o homem.
 
O publico alvo do projeto são os alunos da rede municipal de ensino e de toda região Metropolitana da Baixada Santista. Porém, o equipamento estará aberto também a outros públicos (universitários, pesquisadores) desde que conciliados agendamentos. O ponto de partida para os roteiros será o Forte São João - local sede do projeto ambiental, que desenvolve atividades educativas da Agenda Azul e Verde, desde o ano de 2010.

Colunas

Contraponto