Banda “Rosa de Saron” leva mais de 5 mil à 14 Bis

O grupo de rock católico abriu sua temporada de shows 2013, em Guarujá.

Comentar
Compartilhar
17 JAN 201311h29

O Jubileu de Prata da banda “Rosa de Saron” foi comemorado com uma explosão de luz e cores. O grupo de rock católico subiu ao palco na Praça 14 Bis, em Vicente de Carvalho, para encerrar as festividades em comemoração ao Dia de Santo Amaro, Padroeiro de Guarujá, celebrado em 15 de janeiro. Segundo a Guarda Civil Municipal, mais de 5 mil pessoas assistiram à apresentação que abriu a temporada 2013 de shows da banda.

“A apresentação da banda representa uma mensagem viva de Deus para o jovem diante de um mundo onde há momentos de fragilidade e violência. Esta mensagem celebra a vida, sobretudo a vida social. É um show fundamental para continuarmos vivendo na fé, neste dia especial do padroeiro”, apontou o padre Felipe Gonzalez, sacerdote da Paróquia Senhor Bom Jesus, responsável pela animação do evento.

A prefeita Maria Antonieta de Brito prestigiou os artistas e caminhou pela praça para assistir ao show junto do público. “Estou muito agradecida pelas sugestões que recebi para trazer a banda ‘Rosa de Saron’ para Guarujá. A 14 Bis está lotada e a animação do padre Felipe foi contagiante. Foi um grande presente para nossa Cidade comemorar o dia do padroeiro com este show. Santo Amaro é conhecido por sua grande obediência e fé. Que ele continue a interceder a Deus por nossa Cidade”, disse a chefe do Executivo.

Guilherme de Sá é vocalista da banda Rosa de Saron. (Foto: Pedro Rezende/ Divulgação/ PMG)

Para o baixista e fundador da banda, Rogério Feltrin, comemorar 25 anos de carreira é um momento muito especial, sobretudo na abertura da turnê. Eles já se apresentaram em Guarujá em outra oportunidade, mas numa casa fechada. Este foi o primeiro espetáculo em praça pública na Cidade. “Todos os shows são bem marcantes pela participação do público, que tem uma reação diferente em cada região”, comentou o músico.

Embora apresentem um repertório de músicas católicas, Rogério garante que hoje o grupo atinge a todos os públicos. A banda começou em 1988, na Renovação Carismática Católica (RCC). “Tocávamos em diversos locais, mas sempre no segmento. Aí fomos nos inserindo nos festivais de rock e fazendo nossas próprias músicas. Em 1994, gravamos o nosso primeiro disco, que possibilitou uma divulgação maior do nosso trabalho”, contou.

No entanto, o músico reconhece que a internet foi fundamental para que o grupo se tornasse mais popular. Em 2009, surgiu a oportunidade de assinar com uma grande gravadora e a banda ficou conhecida nacionalmente. “Acabamos de lançar o clipe da música ‘Máquina do tempo’, que está na internet e já teve quase 100 mil acessos (http://www.rosadesaron.com.br/videos/). Nossa página no facebook tem mais de 370 mil curtidas”, citou o artista, entusiasmado.

5 mil pessoas lotaram a Praça 14 Bis, em Vicente de Carvalho, no Guarujá. (Foto: Pedro Rezende/ Divulgação/ PMG)

Rosa de Saron

A rosa de saron é uma das menores que existe no deserto, mas é uma das mais importantes. Ela representa o milagre da ressurreição. “É uma expressão bíblica, que simboliza vida que vence a morte e as adversidades”, finalizou Rogério.

Unidos pela fé

O público foi ao delírio quando a banda cantou “Mais uma vez”, de Renato Russo. O casal Tamiris Santos (19 anos) e Hugo da Silva (21 anos), fã da “Rosa de Saron”, estava bastante animado. Ela é evangélica e frequenta a Igreja Eterna Aliança. Já ele, católico,  participa da Paróquia Nossa Senhora de Fátima e Santo Amaro (Matriz de Guarujá).

Moradora do Jardim Conceiçãozinha e atendente de loja, Tamiris demonstrou muito carinho pelos artistas: “Sou fã e ele também. O show foi muito bom e eu gostaria que durasse o dia todo”. Hugo, que trabalha como técnico de circuito fechado, relata que sua admiração pela banda é antiga. “Tenho três CDs deles, mas é a primeira vez que venho ao show. As músicas fazem a gente se animar para participar”.