Banco do Povo registra aumento de empréstimos a empreendedores em cerca de 30%

O Banco do Povo desenvolve programa de microcrédito produtivo com o objetivo de promover a geração de empregos e renda e estimular o empreendedorismo.

Comentar
Compartilhar
14 JAN 201409h38

A unidade santista do BBP (Banco do Povo Paulista) registrou aumento de 27% no volume de empréstimos a pessoas interessadas em iniciar negócio próprio nos últimos dois anos. Em 2013, o total foi de R$ 875.248,81 contra R$ 682.968,00 registrado em 2011.

O Banco do Povo desenvolve programa de microcrédito produtivo com o objetivo de promover a geração de empregos e renda e estimular o empreendedorismo. A iniciativa é do Governo do Estado em parceria com a prefeitura, por meio da Sedes (Secretaria de Desenvolvimento e Inovação).

O aumento do valor nos dois últimos anos foi acompanhado do aumento da produtividade da unidade santista. “Em razão do programa Eficiência Total, adotado pela prefeitura, reduzimos a equipe e a folha de pagamento em 30% e mesmo assim foi possível captar mais clientes”, disse o gestor da unidade, Fábio Ayres. Desde a instalação do Banco do Povo em Santos, em 2002, até os primeiros dias deste ano, os valores concedidos atingiram o patamar de R$ 10,146 milhões, abrangendo 3.158 contratos.

. A iniciativa é do Governo do Estado em parceria com a prefeitura, por meio da Sedes (Secretaria de Desenvolvimento e Inovação).

Os empréstimos variam de R$ 200,00 a R$ 25 mil (juros de 0,5% ao mês, os menores do mercado) com até 24 meses para pagar (pessoas físicas) e 36 vezes (jurídicas). Com os empréstimos, o interessado pode iniciar um negócio próprio e tornar-se microempreendedor. As atividades abrangem setores do comércio, indústria, rural e prestadores de serviços, tanto os regularizados como os que se encontram na informalidade.

Alessandro Barboza da Silva, 36 anos, montou um chaveiro na Zona Noroeste. Com empréstimo de R$ 6,5 mil ele comprou uma moderna máquina italiana para a confecção de chaves. “Não houve burocracia. Consegui o dinheiro, comprei a máquina e tripliquei a produtividade”.

Já Solange Ribeiro dos Santos, montou um bufê de festas. “Após um empréstimo de R$ 5 mil impulsionei a confecção de bolos, doces e salgados. Com o dinheiro comprei todos os equipamentos necessários: forno industrial, batedeira, talheres e outros materiais. Hoje, tenho muitos clientes e vivo bem com meu empreendimento.

Números

- Empréstimos já favoreceram 89% de pessoas físicas e 11% jurídicas

- 54% dos pedidos são feitos por mulheres e 46% pelo público masculino

- Setor de prestação de serviços, com 57%, representa a maior fatia dos valores emprestados, seguido pela área comercial (32%) e produção (11%).

A instituição funciona na Rua João Pessoa, 300 (Centro) e atende de segunda a sexta-feira, das 8j às 16h. Mais informações pelo site: www.bancodopovo.sp.gov.br

Foto: Rê Sarmento