Banco do Povo recebe mais pedidos de empresas formais

Dos 35 empréstimos efetuados nos três primeiros meses deste ano, 29 (82,8%) foram feitos a negócios formalmente registrados

Comentar
Compartilhar
09 ABR 2018Por Da Reportagem20h17
O motivo para a mudança se deve ao desempenho do Espaço do Empreendedor SantistaFoto: Divulgação/PMS

Pela primeira vez desde sua implantação na Cidade, o Banco do Povo Paulista registrou mais empréstimos a empresas formalmente estabelecidas do que a negócios sem registro.

Dos 35 empréstimos efetuados nos três primeiros meses deste ano, 29 (82,8%) foram feitos a negócios formalmente registrados. Nos últimos 16 anos, a maioria dos empréstimos (55,8%) tem sido para empresas informais.

O motivo para a mudança se deve ao desempenho do Espaço do Empreendedor Santista. "O órgão faz o acompanhamento para que as microempresas individuais (MEI) sejam abertas corretamente e isso tem incentivado as pessoas a formalizarem seu negócio antes de buscarem os recursos conosco", explica o gestor do Banco do Povo em Santos, Gabriel Silvio.

Ele explica que, ao se enquadrar na condição de MEI, o empreendedor garante uma série de benefícios fiscais. "Ele consegue pagar as contribuições necessárias de forma facilitada, inclusive sua cobertura previdenciária. Isso facilita a obtenção de crédito e expansão das atividades".

Renata Araújo de Souza formalizou sua empresa de viagens e eventos em setembro de 2017 e está satisfeita com sua decisão. "Com isso, consigo obter empréstimo a um custo mais baixo e com forma de pagamento facilitada".

Depois que saiu da informalidade, o marceneiro Mário Medeiros conseguiu ampliar suas atividades com diversos créditos que obteve através da instituição. "Há anos que obtenho recursos com o Banco do Povo, pois as condições facilitam a compra de materiais e equipamentos".

Outra vantagem de se abrir uma MEI é um prazo maior para saldar o débito. Enquanto empresas formalizadas podem quitar sua dívida em até 36 parcelas, pessoas físicas (informais) têm o prazo máximo de 12 meses (matéria prima e mercadorias) ou 24 vezes (equipamentos).

Com uma taxa de juros de 0,35% ao mês, a procura pelos serviços do Banco do Povo de Santos segue em evolução. Em 2016, foram emprestados R$ 576.684,78 (100 contratos) e, em 2017, R$ 612.532,60 (114 contratos). Neste ano, até o fim de março, a instituição já liberou R$ 280.600,00. Desde 2002, foram concedidos mais de R$ 12,5 milhões a microempresários santistas.

Modalidades de crédito

A maior parte dos contratos (48,5%) é para investimento misto (operacional e equipamentos). Cerca de 34,6% dos empréstimos são destinados a investimentos fixos (maquinário) e, aproximadamente 16,9% dos empréstimos são para capital de giro (operacional).

Banco do Povo

Criado através de uma parceria entre Prefeitura e Governo do Estado, a instituição oferece financiamentos para empreendedores de micro e pequenos negócios, fomentando o desenvolvimento socioeconômico local e geração de renda.

Requisitos

Possuir empreendimento formal ou informal no Município;

Ter faturamento bruto de até R$ 360 mil/ano;

Não possuir restrições cadastrais;

Comprovar, no mínimo, seis meses de atividade do negócio (por meio de extrato bancário e/ou notas fiscais de compras de mercadorias);

Avalista sem restrições cadastrais (pessoa física que não tenha envolvimento com o negócio, sendo permitido parente, exceto cônjuge).

Documentação exigida

RG e CPF (cliente, sócios – se houver-, avalista);

Comprovante de residência (água, luz ou telefone fixo);

Certidão de casamento (RG e CPF dos cônjuges, se houver);

Comprovante de renda do negócio (três últimos meses de extrato bancário ou declaração de faturamento do contador ou declaração de imposto de renda);

Contrato social e alterações, Cartão do CNPJ, Inscrições Estadual e Municipal (apenas para pessoa jurídica);

Alvará (se houver);

Orçamento dos bens/serviços a serem financiados.