Balsa: Internacional ameaça parcelar direitos trabalhistas

Os valores referem-se a férias e 13º salário proporcionais, aviso prévio e percentuais do FGTS

Comentar
Compartilhar
07 NOV 2018Por Carlos Ratton08h40
As informações são dos próprios ex-funcionários que não querem se identificarAs informações são dos próprios ex-funcionários que não querem se identificarFoto: Rodrigo Montaldi/DL

A Internacional Marítima – antiga concessionária contratada pela Desenvolvimento Rodoviário S/A (Dersa) para operar a travessia das balsas entre Santos e Guarujá - estaria oferecendo aos funcionários demitidos o parcelamento dos direitos trabalhistas em 10 vezes, o que pode causar dificuldades financeiras a dezenas de famílias.   

Os valores referem-se a férias e 13º salário proporcionais, aviso prévio, 40% de multa sobre o saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e apenas 20% do total do que está depositado na conta dos trabalhadores demitidos.

As informações são dos próprios ex-funcionários que não querem se identificar para não serem ainda mais prejudicados. A empresa, que opera em outras travessias do País – São Luís (MA) e Salvador (BA) -  e estava na Baixada Santista e litorais Norte e Sul, perdeu o direito de explorar o serviços antes do feriado prolongado e foi substituída pelo Consórcio Balsa Nova, formado pelas empresas BK e Trairi.

Respostas

A Internacional disse, em nota, que segue em negociação com os trabalhadores. A  Dersa informa que em relação aos funcionários da Internacional, eles são contratados diretamente pela empresa que presta os serviços de operação. Portanto, as negociações trabalhistas são conduzidas diretamente entre o empregador e os empregados, sem envolvimento da Dersa, que por sua vez, exige de todas as suas contratadas o cumprimento integral das leis trabalhistas, bem como o respeito aos direitos e às boas condições de trabalho.

A Dersa revela ainda que a transição da empresa prestadora dos serviços de operação nas Travessias Litorâneas do Estado de São Paulo, ocorrida no último dia 25/10 transcorreu normalmente e que o licitante vencedor, consórcio Balsa Nova, assumiu os serviços nas travessias por um período de 12 meses, em substituição à antiga contratada, em razão do decurso do prazo contratual.