Baixada Santista amplia sistema de esgoto com inauguração de três estações

O governador José Serra inaugurou ontem a Estação de Precondicionamento em Santos e duas Estações de Tratamento de Esgoto em Bertioga e Guarujá (Vicente de Carvalho)

Comentar
Compartilhar
19 JAN 201320h53

Quatro municípios da Baixada Santista deram mais um passo na melhoria do saneamento básico e ambiental, ontem. O governador do Estado José Serra inaugurou a Estação de Precondicionamento de Esgotos (EPC) de Santos que beneficiará também o município de São Vicente, e duas Estações de Tratamento de Esgoto (ETEs) em Bertioga e Guarujá.

São três obras de um total de nove, do programa estadual Onda Limpa, que contemplará toda a Baixada Santista e Litoral Norte. O programa orçado em R$ 1,9 bilhões ampliará os índices de coleta de esgoto de 53% para 95% em até três anos. 

Na Baixada Santista, os investimentos na infraestrutura de coleta e tratamento de esgoto, demandam R$ 1,47 bilhão, sendo parte do financiamento oriundo da Japan International Cooperation Agency (JICA), por meio de termo de cooperação firmado entre Brasil e Japão. 

O governador José Serra visitou a Estação de Precondicionamento de Santos, na região do Orquidário, por volta das 12h30, acompanhado de deputados, do prefeito de Praia Grande Roberto Francisco, do prefeito anfitrião de Santos João Paulo Tavares Papa, do embaixador do Japão no Brasil, Ken Shimanouchi, e do cônsul do Japão no Estado de São Paulo, Kozuak Ôbe.

O governador afirmou que a obra inaugurada ontem em Santos beneficiará toda a Ilha de São Vicente, contemplando os moradores de Santos e São Vicente.

Segundo o superintendente regional da Unidade de Negócios da Sabesp, Joaquim Hornink Filho, a obra amplia a captação de esgoto de toda a Ilha de São Vicente. “Todo o esgoto de Santos e São Vicente será lançado na EPC do Orquidário”.  

A EPC possui seis sistemas de admissão de água dos canais e três estações elevatórias, além da capacidade de 5.300 litros/segundo. Os investimentos foram de R$ 209,9 milhões.

Serra afirmou que a Estação de Precondicionamento propiciará um atendimento do esgotamento sanitário de uma população 30% maior que a atual. O governador, na presença do deputado estadual Bruno Covas, lembrou que as negociações com o governo japonês para atrair investimentos para o saneamento básico do litoral paulista foram encampadas pelo então governador Mário Covas, e que ele, só estava contribuindo neste processo com a execução das obras.

De Santos, a comitiva do governador seguiu para a cidade de Bertioga, onde foi inaugurada a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), com capacidade para 84 litros/segundo. A ETE, orçada em R$ 56,5 milhões, contemplará um sistema de 46.954 metros de redes coletoras de esgoto, 2.160 metros de coletores-tronco, 4.700 ligações domiciliares, seis estações elevatórias de esgotos e 4.557 metros de linhas de recalque.

O empreendimento atenderá dez bairros, ampliando a rede esgoto de 38% para 80%. Os bairros atendidos são: Jardim Indaiá 1a Gleba, Jardim Indaiá 2a Gleba, Jardim Indaiá 3a Gleba, Jardim Santa Tereza, Jardim Neptúnia, Balneário Itapoá, Jardim Caiçara, Jardim Remanso, Jardim Regugio e Jardim Veleiros.

A terceira obra inaugurada ontem pelo governador foi a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), em Vicente de Carvalho, na cidade de Guarujá, que beneficiará nove bairros do Distrito.

O aumento dos índices de coleta de esgoto para 95% em todo o litoral paulista contribuirá para uma melhora significativa das condições de balneabilidade das praias, segundo estima a Sabesp.

Também serão entregues neste mês outras seis obras concluídas: 5 ETEs e uma EPC, todas no litoral Sul (Mongaguá, Itanhaém e Peruíbe). O programa na Baixada Santista prevê a construção de 7 ETEs, 2 EPCs, a construção do emissário submarino de Praia Grande e a ampliação do emissário de Santos. No litoral Norte, o Onda Limpa promoverá a construção de 155 estações elevatórias de esgotos, 15 ETEs, uma EPC e um emissário submarino em Ilhabela.

O Onda Limpa foi lançado em 2007 e abrange todo o litoral paulista, beneficiando mais de 1,6 milhão de habitantes e 1,35 milhão de turistas na Baixada Santista e outros 306 mil moradores e 280 mil turistas no litoral Norte.

Coleta nos morros

Segundo o superintendente regional da Sabesp, Santos tem hoje uma cobertura de 97% de esgotamento sanitário, que permanecerá nesse patamar. Porém, a Sabesp está desenvolvendo um projeto de coleta de esgoto nos morros do Município e nas áreas de mangue.

Litoral Norte

Já no litoral norte serão investidos R$ 470 milhões na ampliação da rede de esgoto, que passará de 35% para 85%, com tratamento de 100% do esgoto coletado.