Autorizado estudo de viabilidade para projeto Barnabé-Bagres

Dado o primeiro passo para o complexo que ampliará a movimentação no porto em mais de 10 milhões de toneladas

Comentar
Compartilhar
19 FEV 201321h36

O estudo de viabilidade do projeto Barnabé-Bagres para expansão do porto de Santos foi autorizado ontem pelo ministro-chefe da Secretaria Especial de Portos (SEP), Pedro Brito. Os estudos de viabilidade técnica, econômica, financeira e social serão realizados pela empresa Santos Brasil S.A e o Termo de Autorização foi assinado ontem pela Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp).

Segundo a Codesp, o projeto Barnabé-Bagres é principal projeto de expansão do setor portuário no país, que agregará ao complexo santista uma capacidade de movimentação de mais 120 milhões de toneladas. A capacidade atual do Porto de Santos é de 110 milhões de toneladas. Planejado para o mínimo impacto ambiental e atendendo aos modernos conceitos de infra-estrutura portuária, demandará para sua implementação recursos estimados em R$ 9 bilhões.

A autorização não tem caráter de exclusividade, não obriga a Autoridade Portuária ao aproveitamento dos referidos estudos e projeto e foi concedida sem ônus para a CODESP, nos termos da legislação pertinente, de forma que qualquer interessado que reúna condições técnico-econômicas para tal, possa pleitear o mesmo tipo de autorização.

O projeto Barnabé-Bagres deve gerar cerca de vinte mil empregos diretos na sua operação (para cada posto de trabalho direto se estima outros três indiretos) e garantirá outros 15 mil durante sua implantação.

O projeto

Barnabé-Bagres é um modelo inédito no país, não apenas pela modernidade do projeto, mas, também, pelo investimento. Inclui armazéns, silos, pátios, tancagens e equipamentos como shiploaders e guindastes. O projeto conceitual do Barnabé-Bagres contempla a expansão do cais em direção à margem esquerda do canal, encontrando seu ancoradouro nas ilhas de Barnabé e Bagres, na parte continental de Santos.

Os números iniciais do projeto surpreendem. São 6 milhões de m² de retroárea, 11 mil metros de cais, 45 berços de atracação para navios. Outro aspecto a se destacar é o cuidado com o meio ambiente. Está previsto que 80% de sua área total seja instalada sobre a água e em áreas degradadas, evitando danos ambientais significativos.

Recursos

O estudo do projeto Barnabé-Bagres faz parte do plano de expansão do porto de Santos anunciado em dezembro passado pelo ministro Pedro Brito. Para a contratação dos estudos de viabilidade de ampliação do cais portuário foi assinado um convênio no dia 12, na ocasião com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), no valor de US$ 1,3 milhões.