Autoridades discutem propostas para Poli-Usp

A CEV discutiu ainda a instalação do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para pesquisas em estudo do Meio Ambiente a ser instalado no CEPEMA/Petrobras

Comentar
Compartilhar
23 JAN 201320h33

Enquanto o projeto de lei que cria a Fundação Poli-Usp em Cubatão não chega ao plenário da Câmara Municipal para apreciação dos parlamentares, a Comissão Especial de Vereadores (CEV) que trata da implantação do Campus Avançado da Escola Politécnica da USP, se reuniu com autoridades e representantes da iniciativa privada para debater assuntos que envolvem a construção do campus universitário.

A CEV discutiu ainda a instalação do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para pesquisas em estudo do Meio Ambiente a ser instalado no CEPEMA/Petrobras. A reunião aberta ao público foi realizada na Câmara Municipal de Cubatão, no final da tarde de ontem.

Durante a reunião foi apresentado o projeto do complexo de ensino superior que tem um orçamento preliminar de cerca de R$ 10 milhões, segundo informou a assessoria de imprensa do Legislativo. O complexo projetado para abrigar 750 alunos ao longo de dez anos deverá iniciar com uma turma de 50, em 2011. O projeto do complexo prevê alojamento para estudantes, salas de apoio, anfiteatro, refeitórios e conjunto poliesportivo.

O complexo da Poli-USP será erguido mediante convênio entre a Prefeitura e a Universidade de São Paulo. Porém, para a assinatura do convênio, é necessária a criação da Fundação Poli-Usp, que precisa ser aprovada na Câmara Municipal e sancionada pelo Executivo.

De acordo com a assessoria de imprensa da Câmara, o projeto da Fundação Poli-Usp ainda está sob análise da Prefeitura. Por meio da Fundação, seria possível levantar fundos da iniciativa privada e poder público para custear o empreendimento.

O complexo da Poli-Usp deverá ser construído no antigo Parque dos Trabalhadores, o Centro Social Urbano (CSU), no Jardim Costa e Silva.

Ainda na reunião de ontem foi proposta a utilização da antiga Vila da Usina Henry Borden para a construção de residências para pesquisadores e professores do complexo educacional.

O primeiro passo para a concretização da Poli-Usp é a aprovação do projeto de lei que cria a Fundação Poli-Usp pela Câmara e sua sanção pelo Executivo, depois a cessão do terreno para o empreendimento pela Prefeitura e a assinatura do convênio entre a Prefeitura, a Fundação e a USP.

Participaram da reunião pública os membros da CEV, vereadores Geraldo Guedes (PR); Maria Aparecida Pieruzzi, a Nega Pieruzzi (PT); José Aparecido dos Santos, o Dedinho (PSB); o presidente da Câmara José Roberto Azzoline (PSB); o assessor especial da Prefeitura Fabiano Madeira; o coordenador geral do CEPEMA Cláudio Oller; o vice-prefeito de Cubatão Arlindo Fagundes; o vice-diretor da Poli-USP, José Roberto Cardoso, entre outras autoridades.

Verba da Câmara

O presidente da Câmara de Cubatão ratificou durante a reunião sua intenção de destinar a verba orçamentária do Legislativo que será devolvida ao Executivo para a construção da Poli-Usp. No final do ano, Alemão apresentará indicação ao Executivo em plenário para a devida aplicação do investimento.