X
Cotidiano

Aumento na venda dos veículos seminovos exige cuidados pelo comprador

Vistoria cautelar é a mais indicada para atestar irregularidades no carro

É preciso tomar alguns cuidados para o barato não sair caro / E5+ Comunicação/ Divulgação

Com a recessão econômica, muitas pessoas vão atrás de alternativas mais baratas aos gastos que estão acostumados no dia a dia, como mudar a marca do feijão, trocar a escola de filho, entre outros. Na aquisição de carros, o padrão segue o mesmo, os brasileiros estão procurando cada vez mais os veículos seminovos em razão do baixo custo.
 
Entretanto, é preciso tomar alguns cuidados para o barato não sair caro. Apesar de custarem mais, os veículos novos vêm com garantias de fábrica que um carro usado pode não ter, como peças originais e novas.
 
Por isso, na compra de um veículo seminovo, além de pesquisar sobre multas e problemas no licenciamento, IPVA, financiamento, e o CPF do vendedor, também é fundamental analisar a estrutura do veículo.
 
O serviço mais indicado é uma vistoria cautelar, que não é ligada a nenhum órgão governamental e nem é obrigatória, porém é mais completa do que o Laudo ECV, obrigatório no Estado de São Paulo. “O objetivo principal da perícia é analisar pontos de identificação, condição estrutural e histórico de procedência”, explica Thiago Rodrigues, perito técnico responsável da Stop Vistorias. Além disso, as empresas também podem analisar outras partes, como pintura e peças originais.
 
Ainda segundo Rodrigues, o mais encontrado nas perícias são veículos com adulteração, avarias estruturais e com algum histórico de leilão.
 
Dados divulgados pela Fenabrave mostram que só no primeiro semestre de 2017 foram vendidos 450 mil seminovos a mais do que o mesmo período do ano passado. Foram mais de 1 milhão de carros usados vendidos desde Janeiro, e a montadora mais procurada foi a Volkswagen, responsável pelo Gol, o usado mais procurado no país há anos, liderando o ranking com 80 mil vendas a mais do que a General Motors e a Fiat.
 
A vistoria cautelar é mais indicada antes da finalização da aquisição por parte do comprador, evitando surpresas futuras com a condição do bem adquirido. “A perícia é entregue impressa com as informações coletadas, fotos e pesquisas. É um documento útil tanto no momento da compra quanto no momento da venda, pois a empresa de vistorias passa a ser responsável pelo documento.”

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Guarujá

Teatro Procópio exibe 'As Aventuras de Tintim' nesta sexta-feira (27)

Evento marca a retomada das atividades presenciais do Programa

Operação

Polícia apreende drogas, arma e anotações do tráfico em barraco bomba, em Santos

Em operação de busca e apreensão na Rua Chile, no bairro Vila Nova, uma equipe da Polícia Civil se deparou com um homem em atitude suspeita

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software