Audiência do VLT pega empresários de surpresa

Comerciantes da Rua General Câmara reclamam da falta de informação sobre a reunião pública.

Comentar
Compartilhar
17 DEZ 201214h50

Uma audiência pública a respeito da implantação do Veículo Leve sobre Trilhos (VLT), com previsão de início para 2013, está marcada para esta terça-feira. Mas, ao que tudo indica, os que mais sofrerão impactos com a mudança não foram avisados. Quando entrevistados pelo DL, comerciantes da Rua General Câmara espantavam-se com a informação sobre o encontro. A via faz parte do trajeto de implantação de trilhos para a passagem dos trens.

“Essa rua não comportaria nenhum tipo de trem”, disse Karla Atik, proprietária do comércio Clipper Uniformes. Ao ser informada da audiência pública, demonstrou frustração por não ter sido avisada. “Eles (o Governo) não estão nem aí para o que os comerciantes pensam. Nem avisar, nos avisaram”, disse. A loja de Karla está há 70 anos no Centro de Santos. Karla não deve faltar à reunião sobre o VLT. “Se eu não puder ir, qualquer sócio meu vai, com certeza”.
 
 Comerciantes temem falência com VLT. (Foto: Matheus Tagé/DL)
 
Para o comerciante José Carlos Pinto, dono do estacionamento JC, a implantação do VLT na via é sinônimo de falência. “Se eles começarem as obras aqui (Rua General Câmara) mesmo, muitos comerciantes vão fechar as portas”, diz. Indignado, Carlos Pinto também pretende comparecer à audiência pública para esclarecer suas dúvidas sobre o projeto e implantação.
 
Segundo a Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU/SP), que gerencia a implantação do projeto, a audiência pública a respeito do trecho Conselheiro Nébias-Valongo, do VLT, com 6km de extensão, é aberto à comunidade. Durante o encontro, será detalhado o traçado do trecho e suas implicações futuras na área a ser percorrida pelo VLT, empreendimento do Governo do Estado que faz parte do Sistema Integrado Metropolitano da Baixada Santista.
 
O primeiro trecho, de 11 km, entre o Terminal Barreiros, em São Vicente, e o Porto de Santos, tem previsão de início das obras para o começo de 2013. O primeiro veículo estará operando neste trecho ainda em 2014, segundo a EMTU.
 
Para este mês, está prevista a assinatura do contrato com a empresa vencedora da licitação referente à compra dos sistemas de energia, sinalização, telecomunicações, controle de arrecadação e de passageiros. Com relação ao fornecimento dos 22 veículos, publicação do Diário Oficial do Estado de 23/11 proclamou vencedor o Consórcio Tremvia Santos, formado pelas empresas Trans Sistemas de Transportes S.A. e Vossloh España S.A. 
 
Os trens têm 2,65m de largura por 44m de comprimento, com ar condicionado e piso 100% baixo, facilitando a movimentação de usuários com dificuldade de locomoção. A capacidade é de 400 usuários.