Atos de vandalismo causam prejuízos à prefeitura de Santos

Entre os alvos estão os postos de salvamento da orla, algumas fontes, bancos de madeira, torres de iluminação e os chuveirinhos da praia.

Comentar
Compartilhar
12 JAN 201318h26

Os atos de vandalismo obrigam a prefeitura a gastar, em média anual, cerca de R$ 850 mil para consertar e recuperar bens públicos. Segundo a Seserp (Secretaria de Serviços Públicos) essa quantia seria suficiente para construir uma creche de padrão médio para abrigar cerca de 80 crianças.

Entre os alvos constam os postos de salvamento da orla que, por vezes, necessitam da reposição de peças sanitárias. Algumas fontes na orla são danificadas, em razão do furto de biqueiras. Bancos de madeira também são alvos de vândalos. O mesmo ocorre com os chuveiros da praia e as torres de iluminação, das quais são subtraídos cabos elétricos.

A preferência dos vândalos também recai sobre luminárias da ciclovia e dos jardins com furtos de cabos, bem como os conjuntos de brinquedos da orla com o uso inadequado, fazendo com que a prefeitura realize manutenção periódica.         

Um dos alvos frequentes dos vândalos, são os postos de salvamento das praias. (Foto: Divulgação)