Ato da CUT, UNE e MST em São Paulo tem mensagens de apoio a Dilma

A Central Única dos Trabalhadores contratou cerca de 80 seguranças particulares para acompanhar o ato. A PM acompanha a movimentação à distância

Comentar
Compartilhar
13 MAR 201515h55

Apesar de ser oficialmente uma manifestação organizada para fazer cobranças ao governo federal, o ato organizado pela Central Única dos Trabalhadores, União Nacional dos Estudantes (UNE) e Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), que ocupa na tarde desta sexta-feira, 13, uma faixa da Avenida Paulista, em São Paulo, só registra até agora mensagens de apoio à presidente Dilma Rousseff. "Viemos aqui para defender a Petrobras e a Dilma. É isso que importa" , afirma o sindicalista Edinaldo Gonçalves, do Sindicato dos Químicos de São Paulo.

A CUT contratou cerca de 80 seguranças particulares para acompanhar o ato. A Polícia Militar acompanha a movimentação à distância e ainda não divulgou nenhuma estimativa de público para o evento.

O ato organizado que ocupa uma faixa da Avenida Paulista, em São Paulo, só registra até agora mensagens de apoio à presidente Dilma Rousseff (Foto: Paulo Pinto/Fotos Públicas)