Atleta de 69 anos representa Guarujá em Maratona de Montevidéu

Neste domingo (26), Roberto Junqueira correrá 42 quilômetros em busca da vitória.

Comentar
Compartilhar
22 ABR 201517h17

“Eu vivo corrida, é uma das coisas mais importantes da minha vida”. Aos 62 anos, Roberto Junqueira começou o esporte e não parou mais. Hoje, com 69, coleciona títulos e maratonas pelo mundo. Desta vez ele levará o nome de Guarujá para Montevidéu, no Uruguai, percorrendo 42 quilômetros. A prova acontecerá neste domingo (26).

O esportista recebe a Bolsa Atleta da Prefeitura de Guarujá na categoria Internacional há três anos e o beneficio o auxilia a custear os gastos com a prática esportiva. Ele já participou de maratonas em Boston, Lima, Paraguai, Punta Del Leste, Paris e vários outros lugares do mundo.

Junqueira tinha o objetivo de melhorar sua qualidade de vida e se surpreendeu. “Precisei fazer uma cirurgia na coluna e também necessitava perder peso. Comecei caminhando na praia das Pitangueiras, e quando fui ver, estava esticando o percurso para a Enseada e correndo cada vez mais e em menores tempos. Guarujá me ofereceu o espaço que eu preciso para desenvolver a modalidade, e me deu a oportunidade de expandi-la, afinal, nunca é tarde para fazer algo novo”, conta.

Um novo estímulo e alegria é que essa competição no Uruguai será a primeira meia maratona internacional de seu filho, Rogério Junqueira. O dentista de 41 anos acompanhará o maratonista. “Tenho muito orgulho do meu pai. Será uma honra correr ao lado dele, é para poucos disputar uma maratona com o próprio pai”, emociona-se.

O esportista revela como organiza seus treinos e cuida de sua saúde. “Faço planilhas para organizar meus treinos. Vou aumentando as distâncias, até chegar ao máximo de 35 quilômetros, o que demora cerca de três horas, faço pausas de semanas antes das competições e recupero peso. Para essa maratona de Montevidéu estou treinando há 4 meses. Consulto duas vezes ao ano um cardiologista, faço exames de sangue e monitoro minha saúde”, pontua Junqueira.

Uma curiosidade sobre o atleta é que ele carrega tabletes de rapadura nas competições. “O desgaste é grande, e alguns pedacinhos já fornece energia”, confidencia. Antes mesmo de Roberto correr praticava hidroginástica na Escola Municipal Napoleão Rodrigues Laureano, onde foi incentivado a praticar o esporte e sair de vez do sedentarismo.

Ele compete na faixa de 65 a 69 anos, e sua lista de conquistas é extensa: tri- campeão da maratona de Punta Del Leste, campeão em Assunção, terceiro lugar em Santiago, quinto lugar em Lima e também quinto no Rio de Janeiro.