'Atividade Delegada' em Santos começa ainda este mês

A união de esforços para reforço da segurança será intensificada em Santos, a partir da próxima semana, com o início do Programa Atividade Delegada.

Comentar
Compartilhar
20 MAR 201410h31

A união de esforços para reforço da segurança será intensificada em Santos, a partir da próxima semana, com o início do Programa Atividade Delegada. Parceria do governo estadual e prefeitura, a iniciativa prevê o trabalho de 40 policiais militares em seus horários de folga, pagos pelo município.
A autorização para o início da operação foi assinada, nesta quarta (19) em solenidade no Palácio dos Bandeirantes (São Paulo), pelo governador Geraldo Alckmin, o secretário estadual de Segurança, Fernando Grella Vieira, e o prefeito Paulo Alexandre Barbosa. O convênio tem validade de cinco anos.

“Com o envolvimento das prefeituras nós vamos derrubar os indicadores criminais, preservando a vida, o patrimônio e a segurança da população”, disse o governador, ressaltando que o convênio com Santos é pioneiro na região da Baixada Santista.

Parceria do governo estadual e prefeitura, a iniciativa prevê o trabalho de 40 policiais militares em seus horários de folga, pagos pelo município

A mesma opinião é compartilhada pelo prefeito de Santos. “Segurança é dever do Estado, mas de responsabilidade de todos. Este é um compromisso que assumimos e estamos cumprindo, para que a cidade tenha um número maior de policiais e a população se sinta mais segura”, destacou Paulo Alexandre.

Abrangência
O chefe do Executivo explica que o programa terá início com 40 policiais, os quais atuarão nas regiões da orla e central, além do bairro do Gonzaga, com foco no combate ao comércio irregular e outras questões de segurança. “Vamos ampliar de forma significativa este número para atender toda a cidade”.

Além de Santos, mais três cidades - Lençóis Paulista, Quatá e Iperé - formalizaram também nesta quarta a parceria com o governo estadual, totalizando 39 municípios e a abrangência de 3.400 policiais militares em todo o estado.

Como funciona o programa
- Um plano de trabalho será definido entre a prefeitura e a Polícia Militar para acertar os detalhes sobre a operação.
- Os policiais que trabalham ou moram na região poderão se cadastrar para atuar no programa.
- Aqueles que forem selecionados recebem R$ 19,72 ou R$ 26,32 por hora trabalhada, de acordo com o cargo na corporação.
- O trabalho na Atividade Delegada é feito com fardamento e equipagem militar e pode ser realizado nos intervalos dos turnos de serviço em períodos de até 8 horas. Por mês, será permitido atuar até 10 vezes.

Foto: Marcelo Martins