Ataque aéreo mata pelo menos 20 na capital síria

O grupo ativista, os Comitês de Coordenação Locais, indica que os mortos no ataque chegam a 35

Comentar
Compartilhar
20 FEV 201316h55

Um ataque aéreo a um subúrbio de Damasco deixou pelo menos 20 mortos nesta quarta-feira (20), mesmo dia em que dois morteiros explodiram nas proximidades de um estádio de futebol, no coração da capital síria, matando um jogador.

O Observatório Sírio pelos Direitos Humanos informou que o ataque a Hamouriyeh matou 20 pessoas, mas acredita-se que haja mais corpos sob os escombros. Outro grupo ativista, os Comitês de Coordenação Locais, indica que os mortos no ataque chegam a 35 e que há dezenas de feridos.

Damasco tem permanecido ao largo da violência que já arruinou várias cidades, mas nas últimas semanas os rebeldes que se instalaram nos subúrbios da capital tem entrado em confronto com forças do governo e avançando, a partir do leste e do sul, para o centro da capital.

Também nesta quarta-feira, rebeldes derrubaram um jato do governo perto do subúrbio de Douma, informou o Observatório. O ataque com morteiros que matou o jogador foi o segundo deste tipo em dois dias. Na terça-feira, dois morteiros explodiram perto de um dos palácios do presidente Bashar Assad, mas ninguém ficou ferido.

A agência oficial de notícias Sana afirmou que os morteiros caíram em um complexo habitacional perto do estádio Tishrin no centro do distrito de Baramkeh durante um treino, matando um jogador do time al-Wathbah, que tem sede em Homs. O jogador foi ferido dentro do hotel, quando estava se preparando para ir ao estádio e participar do treino. Em seguida, ele foi levado ao hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

Os colegas da equipe al-Wathbah que testemunharam o ataque identificaram a vítima como Youssef Suleiman, de 19 anos, atacante do time. Eles disseram que ele era pai de um bebê de 6 meses. Colegas de time de Suleiman disseram que os morteiros caíram em frente ao hotel onde os jogadores normalmente ficam instalados.

"Estávamos para sair para o estádio quando ouvimos a primeira explosão e as janelas explodiram", disse Ali Ghosn, jogador de 20 anos. "Youssef foi atingido no pescoço. Corremos para o corredor quando a segunda explosão aconteceu e eu vi Youssef caído, sangrando no pescoço, disse ele à Associated Press em Damasco.

Outros três jogadores ficaram feridos, dentre eles um que está em estado grave. O ataque aconteceu poucas horas antes de o time jogar contra o al-Mawaair, de Hama. Após o ataque, o jogo foi adiado.

A partido é parte do campeonato interno, que tem sido adiado por causa dos confrontos. O campeonato, que conta com nove times, foi retomado na semana passada e os jogos devem acontecer na capital, em estádios sem público. "Somos jogadores de futebol", disse Ghosn. "Estas pessoas não querem o bem da Síria. São criminosos." As informações são da Associated Press.