Artesp fará cronograma para fretados na Imigrantes

A solução para atender aos fretados foi a liberação da faixa da esquerda da Anchieta

Comentar
Compartilhar
12 OUT 201310h40

As reivindicações dos usuários de ônibus fretados poderão ser atendidas a longo prazo. Em reunião realizada durante esta semana com a comissão de usuários, a Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp), da Secretaria de Estado de Transportes e Logística, acenou a possibilidade de elaborar um cronograma de ações visando a liberação da pista descendente da Rodovia dos Imigrantes para a frota de fretados. Para isso, será necessário fazer alterações em legislações e normas. No momento, a solução paliativa adotada, é a liberação da faixa da esquerda da pista sul da Via Anchieta para o tráfego dos fretados, em vigor desde quinta-feira.

Participaram da reunião realizada na quarta-feira, representantes da Artesp, concessionária Ecovias, Polícia Militar Rodoviária e integrantes da Comissão de Usuários dos Fretados formada por entidades ligadas às empresas de fretamento e usuários desse sistema de ônibus. No encontro foi definido que a ARTESP e os representantes dos usuários unirão esforços para buscar novos pareceres técnicos que indiquem formas de garantir a segurança dos ônibus na descida da serra pela Imigrantes.

Foi definido que a Artesp unirá esforços à comissão de usuários dos fretados para buscar parceria junto aos fabricantes de ônibus para que especialistas produzam relatórios técnicos que mostrem as especificações necessárias para que os ônibus rodoviários possam fazer a descida pela Imigrantes sem que haja grave risco à segurança. De acordo com representantes dos usuários, já foi iniciado um contato preliminar com membros da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores(Anfavea), que iriam colocar a solicitação em pauta. Esse diagnóstico técnico seria o primeiro passo para mudança na legislação que não permite a descida pela Imigrantes. No entanto, serão necessários, ainda, outros passos, como mudanças nas normas do Conselho Nacional de Trânsito(Contran), que poderiam ser pleiteadas após a conclusão desse novo estudo. Não há prazo para a conclusão dessas etapas.

Na reunião foi esclarecido aos representantes dos usuários de fretados que amplo estudo realizado por especialistas da Escola de Engenharia da Universidade de São Paulo (USP) em 2002, e revisado no ano passado, indica que há grave risco à segurança viária na descida de veículos pesados pela Rodovia dos Imigrantes. Isso ocorre pelo fato da pista ter um declive de 6% por um trecho de 11 quilômetros, o que favorece a aceleração involuntária, comprometendo o sistema de freios dos veículos, entre outros componentes. Outro ponto destacado foi que o fato dos túneis da pista de descida da Imigrantes serem muito longos representa um agravante em caso de acidentes. Foram apresentados aos usuários dados sobre a fiscalização de veículos pesados que seguem viagem para a Baixada Santista pela Imigrantes. De acordo com a Polícia Rodoviária, nos últimos 12 meses houve 1.460 autuações a ônibus e micro-ônibus e 2.441 a caminhões por descumprimento da norma.

Para a liberação aos fretados será necessário mudanças na legislação e normas do Contran (Foto: Matheus Tagé/DL)

Todas as entidades representativas dos usuários dos fretados foram convidadas a participar, em novembro, de reunião já agendada entre a Artesp, Ecovias, Polícia Rodoviária Estadual e representantes dos fretados que irão avaliar medidas já adotadas para melhorar a viagem rumo à Baixada Santista, como a proibição dos caminhões de trafegarem pela faixa da esquerda da pista descendente da Anchieta, entre às 18h e 20h, — deixando essa faixa exclusivamente para ônibus e veículos de passeio — em vigor desde quintafeira. Esta operação foi definida após várias reuniões nos meses de junho a setembro, que incluiu Artesp, Ecovias, Polícia Rodoviária e representantes dos usuários, além de debates com representantes dos caminhoneiros.

UUFSAI rejeita faixa da Anchieta Sul

Durante a reunião, membros da União dos Usuários de Fretados do Sistema Anchieta Imigrantes (UUFSAI) questionaram pontos para a liberação da pista descendente da Imigrantes, como, por exemplo, a polêmica sobre a segurança dos túneis, ônibus de clubes de futebol e caminhões que já utilizam a rodovia excepcionalmente e a liberação da pista da esquerda na Anchieta para os ônibus. Entre os membros da UUFSAI, Eduardo Caixe, Fábio de Faria, Francisco Simões e Leiny Gomes.

Sobre os túneis projetados na Imigrantes, a UUFSAI questionou se eles são seguros ou se houve problemas na concepção do projeto. Segundo os representantes da ARTESP “os túneis poderiam ser mais seguros, pois seguem às normas impostas na época em que foram construídos. Porém, não atendem às normas de segurança atuais”.

A segregação de faixas na Anchieta Sul foi rejeitada pela UUFSAI. A Artesp admitiu que esta “ainda não é a melhor solução”, porém manteve sua posição.

Após três horas de reunião, a Artesp declarou que vai apresentar cronograma, visando a liberação da Imigrantes. No entanto, deixaram claro que a liberação imediata é uma hipótese descartada por ser de alto risco: “Fazer a descida assistida não existe possibilidade. O que devemos é continuar no diálogo e construir junto um roteiro”, disse o diretor da Ecovias, José Carlos Cassaniga. 

A UUFSAI foi oficialmente convidada a participar de todas as próximas reuniões, acompanhando o andamento das ações com a possibilidade de sugerir melhorias.