Ao menos 75% dos ônibus têm de circular nesta quinta-feira, sob pena de multa

A intenção da Delegacia Regional do Trabalho é que o prefeito Fernando Haddad reabra as negociações da campanha salarial, que se encerrou após uma assembleia da categoria ontem à noite

Comentar
Compartilhar
21 MAI 201420h55

O grupo de motoristas e cobradores grevistas prometeu voltar a trabalhar na madrugada desta quinta-feira, 22. A decisão foi anunciada ontem à noite, após uma reunião na Delegacia Regional do Trabalho (DRT) e está condicionada a uma reunião com o prefeito Fernando Haddad (PT), às 10h de hoje. A intenção da DRT é que Haddad reabra as negociações da campanha salarial, que se encerrou após uma assembleia da categoria na segunda-feira à noite.

Uma comissão formada por representantes dos grevistas, além do sindicato, acompanhará o DRT na reunião pretendida com Haddad. Ao mesmo tempo, o sindicato patronal das empresas de ônibus (SP Urbanuss) obteve liminar ontem à tarde no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) que obriga a circulação de, no mínimo, 75% do total das linhas de ônibus.

Se a decisão do dissídio de greve não for cumprida, será aplicada multa ao sindicato dos motoristas e cobradoras, com valor a ser fixado "oportunamente", segundo decisão da desembargadora Rilma Aparecida Hemetério. Uma audiência está marcada no TRT no início da tarde de hoje. Segundo o superintendente do Ministério do Trabalho, Luiz Antonio Medeiros, as empresas não aceitaram negociar com os grevistas. Por isso, agora ele espera que Haddad possa ajudar a abrir a discussão.

O grupo de motoristas e cobradores grevistas prometeu voltar a trabalhar  (Foto: Robson Fernandjes/Estadão Conteúdo)