Ao menos 22 casas terão de ser demolidas em Itaoca

Em todo a cidade, o fenômeno causou 24 mortes. Continuam desaparecidos três moradores. Os relatórios dos imóveis vistoriados foram entregues ao prefeito Rafael Rodrigues de Camargo (PSD)

Comentar
Compartilhar
23 JAN 201419h37

Pelo menos 22 casas terão de ser demolidas após terem sido afetadas pela tromba-d'água que atingiu Itaoca, no sudoeste de São Paulo, no dia 13. Uma vistoria técnica na estrutura das construções concluída nesta quinta-feira, 23, pela Defesa Civil, com apoio de técnicos do Instituto Geológico (IG) do Estado, condenou os imóveis à demolição preventiva. Também foi recomendado que as áreas em que se localizam as moradias sejam interditadas para novas construções.

O embargo afeta, integralmente, o bairro do Guarda-Mão, na zona rural, o mais atingido pelo temporal - apenas nesse bairro, cinco casas foram levadas pela avalanche de água e pedras, causando a morte ou o desaparecimento de vinte moradores.

Em todo a cidade, o fenômeno causou 24 mortes. Continuam desaparecidos três moradores. Os relatórios dos imóveis vistoriados foram entregues ao prefeito Rafael Rodrigues de Camargo (PSD). Camargo reivindicou ao governo federal uma verba a fundo perdido para a construção de moradias destinadas às famílias que perderam suas casas.

Pelo menos 22 casas terão de ser demolidas em Itaoca (Foto: Edson Lopes Jr.)