Antonieta recebe Fausto Figueira para tratar sobre assuntos portuários

A chefe do Executivo esteve com o assessor da presidência da Codesp na segunda-feira (21).

Comentar
Compartilhar
23 JAN 201320h16

A urbanização do linhão na Prainha, a Comissão de Anistia do Porto e a criação de um acesso marítimo à empresa Saipem foram assuntos tratados na reunião entre a prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito, e o assessor da presidência da Codesp e ex-deputado estadual, Fausto Figueira.

O encontro aconteceu na tarde da última segunda-feira (21). Na oportunidade, Fausto esteve no gabinete da chefe do Executivo para definir ações para melhorar a qualidade de vida da população na relação Porto-Cidade.

Na última semana, a prefeita esteve em audiência com o vice-presidente da República, Michel Temer, acompanhada de seu vice Duíno Verri Fernandes e da Comissão de Anistia do Porto para protocolar um documento solicitando apoio e intervenção junto à presidenta Dilma Rousseff para que cerca de 100 portuários sejam reconduzidos aos seus postos de trabalho.

Entre 1990 e 1992, no Governo Collor, 196 trabalhadores da Codesp foram demitidos por justa causa. A partir de janeiro do ano passado, 95 trabalhadores foram anistiados por força da Lei 8878/94 e, até o momento, os outros trabalhadores aguardam um retorno do Governo Federal para reassumir suas funções.

Maria Antonieta recebeu Fausto Figueira na segunda-feira (21) (Foto: Divulgação)

Antonieta esteve também recentemente com o ministro dos Portos, Leônidas Cristino, apontando a necessidade de um acesso de 30 metros até o canal pelo Porto de Guarujá (Vicente de Carvalho) para o transporte hidroviário até o Complexo Industrial e Naval do Guarujá (Cing), onde está sendo instalada a empresa Saipem. A área pleiteada pelo Município fica entre as empresas Santos Brasil e a Terminal de Granéis do Guarujá (TGG), onde será construído um atracadouro para embarque e desembarque de produtos. O objetivo é evitar a circulação de carretas nos bairros do entorno do Cing.

A prefeita aponta que, será possível criar uma saída para uma balsa e também atender toda esta região. “Será algo de utilidade pública, que vai possibilitar que empresas, como as de esporte náutico, lazer e recreio, se viabilizem, sem a passagem na área das residências”, ressaltou Antonieta.

Para Fausto Figueira, a reunião com a chefe do Executivo guarujaense foi extremamente positiva. “Falamos a respeito da relação entre a Codesp e a Prefeitura, até pela importância do Porto e de Guarujá. Queremos que esta relação seja a melhor possível e estamos tentando agilizar várias questões, atendendo aos pedidos da prefeita”.

O assessor da presidência da Codesp acrescentou que “a prefeita está disposta a fazer que o seu segundo mandato seja melhor que o primeiro. E a Codesp quer colaborar, já que isso resultará em benefício para toda população de Guarujá e de toda a Baixada”, finalizou.