Antonieta cria 1º Comitê de Saúde da População Negra

A nova composição do Conselho Municipal do segmento também foi empossada

Comentar
Compartilhar
18 MAI 201514h45

No Dia Nacional de Denúncia contra o Racismo – 13 de maio, a prefeita de Guarujá, Maria Antonieta de Brito, criou o 1º Comitê Municipal da Saúde da População Negra da Baixada Santista e empossou a nova composição do Conselho Municipal de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra. A solenidade ocorreu na quarta-feira (13), no Paço Municipal Moacir dos Santos Filho. O Comitê irá assessorar a Secretaria Municipal de Saúde no atendimento às pessoas que tenham doenças com maior incidência na população negra, como anemia falciforme, glaucoma, hipertensão e diabetes.

“Estamos escrevendo uma nova história, criando o 1º Comitê de Saúde da População Negra da Região porque há uma série de doenças que precisam ser tratadas, que são mais frequentes na etnia afro-descendente. Há quanto tempo ouvimos falar de anemia falciforme? Nossa Secretaria de Saúde vai trabalhar de forma propositiva neste tema”, assegurou Antonieta.

Na oportunidade, a militância e autoridades avalizaram o ato. O presidente estadual do Conselho da Comunidade Negra, Marco Antônio Zito Alvarenga, representou o Estado. O evento contou ainda com a participação do coordenador da Câmara Temática Especial de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial do Conselho Metropolitano da Baixada Santista (Condesb), Júlio Evangelista Santos Júnior; e da coordenadora do Comitê Técnico Regional de Saúde da População Negra, Marise Borges.

O presidente estadual exaltou a iniciativa, pontuando o compromisso da gestão pública. “Este comitê é um grande avanço. Sabemos das dificuldades e o objetivo não é criar um serviço isolado, um gueto, mas um atendimento plural, com o viés da transversalidade. A comunidade está mobilizada e aqui são avanços e mais avanços”, disse.

Para Júlio Evangelista, o ato demonstra uma ação ímpar na política pública para o segmento. “Criar uma instância na Saúde para pensar nas doenças que acometem o nosso povo é estratégico. Além disso, precisamos do controle social dos Conselho para mensurar nossas ações, criticando ou apontando caminhos. Este conselho tem uma composição única, com militantes históricos e a nova geração”, considerou.

Conselho Municipal tem nova composição

A prefeita Antonieta ressaltou ainda a importância dos conselhos municipais, espaços nos quais os cidadãos têm voz para apontar caminhos ao poder público. Ela destacou ainda a presença do Conselho Estadual e do Condesb, assim como das entidades, universidades e instituições religiosas.

“Este é o reconhecimento da sociedade fazendo a diferença, porque a gente arregaça as mangas e faz. Na primeira posse de Conselho, dava para contar nos dedos o número de representantes das religiões de matrizes africanas. E hoje a representatividade aumentou valorizamos sua cultura. Aqui não comemoramos o 13 de maio, mas a luta realizada para avançar. Não há vitória sem esforço. A nossa tarefa é fazer com que a sociedade se engaje para fazer a diferença”, salientou.

A importância da política de cotas para corrigir injustiças históricas de exclusão social do povo negro, a biblioteca étnica, trabalho interdisciplinar com cultura e esporte, o trabalho da Oficina do Pensar na Fundação Casa, o enfrentamento aos fatos da maior parte dos jovens cooptados pela criminalidade ser afro-descendente, e a inauguração da futura Casa do Hip Hop foram algumas ações apontadas pela prefeita.

Antonieta convidou os participantes para assinar junto com ela o Decreto 11.437/2015, que nomeia o Conselho, e também o Decreto 11.438/2015, criando o Comitê. Entre eles, estavam o vice-prefeito Duino Verri Fernandes; Zito Alvarenga; Eliane Ribeiro (secretária municipal de Coordenação Governamental); Guilherme Cruz (diretor de Políticas Públicas); Rubens Paulo (assessor de Políticas Públicas de Igualdade Racial); Anderson Bernardes (ex-presidente do Conselho Municipal); Roberto Teles de Oliveira (Mestre Sombra); Mary Francisca do Careno (coordenadora do Núcleo de Estudos Indígenas e Afro-brasileiros (Neiab) da Unaerp – Campus Guarujá); representantes religiosos, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e outros segmentos do movimento negro.

No ato, Anderson Bernardes fez uma prestação de contas sobre o biênio que ficou à frente do órgão. As ações foram destacadas pela secretária Eliane Ribeiro e o diretor Guilherme Cruz, que pontuaram os avanços sobre a questão nos últimos anos.

Receita de sucesso – O assessor de Políticas Públicas de Igualdade Racial, Rubens Paulo, enfatizou que a visão progressista da prefeita Antonieta, a sensibilidade da secretária, o respaldo de sua diretoria, a trajetória de luta de Anderson Bernardes, o apoio do Condesb e dos conselhos estadual e municipal são fatores determinantes para o sucesso das ações. “Nesta data se constrói políticas públicas efetivas. Não há como agir sem o apoio dos conselhos. Temos nesta nova composição pessoas das mais variadas áreas do saber, o que nos faz acreditar que este será um dos conselhos mais atuantes.”

A eleição para definir a presidência do Conselho acontecerá a partir da próxima semana. O edital de convocação será publicado no Diário Oficial.

Mestre Sombra integra Conselho Municipal

Considerado um ícone na preservação da história e prática da capoeira, assim como da cultura negra, o pioneiro Mestre Sombra volta às origens e passa a fazer parte da composição do Conselho. “Neste momento a gente vem com um passo a frente na questão do conteúdo, mas com a necessidade da gente se unir para a valorização da cultura e do segmento como um todo”, afirmou Mestre Sombra.