Animais passam por tratamentos emocionais em Santos

Com a aplicação do Reiki, aromaterapia e cromoterapia, são tratados tanto os problemas físicos quanto emocionais dos pets

Comentar
Compartilhar
11 NOV 2019Por Da Reportagem21h01
A energia vital universal é a base do ReikiFoto: Divulgação/PMS

Animais estão sendo submetidos a novos métodos de tratamento na Coordenadoria de Defesa da Vida Animal (Codevida): as terapias holísticas. Com a aplicação do Reiki, aromaterapia e cromoterapia, são tratados tanto os problemas físicos quanto emocionais dos pets.

A energia vital universal é a base do Reiki. Com as mãos em pontos estratégicos, denominados "chacras", pode aumentar a imunidade, auxiliar na cicatrização e amenizar os sintomas das doenças.

A aromaterapia é feita com o intuito de restaurar o equilíbrio emocional do animal. Consiste no uso de óleos essenciais e hidrolatos, sendo que os óleos são utilizados apenas para a inalação e os hidrolatos, por serem mais suaves e gentis, podem ser aplicados diretamente na pele. É importante ressaltar que este método não pode ser aplicado em gatos, pois os aromas podem ser tóxicos a eles, fazendo-os desmaiar e, em alguns casos mais graves, levar á óbito.

Outro método focado no emocional é a cromoterapia. Com o auxílio de uma lanterna que possui as sete cores do arco-íris (que também são as cores dos chacras), ilumina-se determinados pontos do corpo. Cada cor possui uma finalidade: o rosa, por exemplo, é aplicado em animais que passaram por algum tipo de abuso.

Todas as terapias são realizadas respeitando a vontade dos pets. Por meio da autoseleção, eles podem escolher os aromas e a cores que mais os agradam, assim como a hora em que a sessão deve terminar. São opções mais confortáveis e aceitas pelos animais, mas é bom lembrar que nenhum tipo de tratamento deve ser feito sem o acompanhamento de um profissional.

Os métodos, que foram instaurados na Codevida há pouco mais de um mês, são realizados pela terapeuta de animais Carla Monteiro e, já em dezembro, serão aplicados em diversos animais. Quem determinará se o tratamento será feito ou não com as terapias holísticas será o médico veterinário, por meio de uma consulta. "As pessoas precisam saber o quanto os animais precisam deste tipo de terapia. Os donos costumam deixar esta opção por último, e isto não é certo, pois elas ajudam justamente na prevenção das doenças", disse a terapeuta.

Tratamento complementar

A cadela Edla foi resgatada das ruas com 40° de febre, sofria de piometra (infecção que causa o inchaço do útero). Passou por uma cirurgia de emergência e o coração, que tinha apenas algumas horas de vida, continua batendo há 20 dias. Edla tirou os pontos há pouco tempo e ainda está em recuperação. As terapias holísticas serviram como um complemento neste caso, já que amenizam o tratamento com fármacos.

"Nós cuidamos do animal como um todo, da questão física à emocional", completou Leila Abreu, coordenadora da Codevida.