Animais abandonados preocupam em Itanhaém

Município registra o problema em todos os bairros. No entanto, ainda não conta com Centro de Controle de Zoonose

Comentar
Compartilhar
06 SET 2020Por Nayara Martins11h34
Dezenas de cães são abandonados e vistos nas ruas em vários bairros, à procura de um lar.Foto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

A cena de cães e gatos abandonados nas ruas de vários bairros é algo bastante comum em Itanhaém. A maioria não tem como se alimentar e nem onde dormir. Eles caminham, sem rumo, pelas vias à procura de comida ou de algum abrigo. Apesar de ser um problema sério, o município ainda não conta com um Centro de Controle de Zoonose.

Um grupo de protetoras dos animais criou a página "Animais perdidos Itanhaém" no Facebook, em outubro de 2016. O objetivo é prestar ajuda aos bichos abandonados no município. A página, idealizada pela protetora Fabi Matos, tem o auxílio de mais quatro moderadoras que agem de forma independente.

Com cerca de 12 mil membros, na página são postadas fotos de bichos perdidos, encontrados e os que estão para adoção.

A protetora Claudia Dalla Torre explica que o problema ocorre em todos os bairros da cidade, em especial, na avenida Cabuçu, no bairro Nossa Senhora do Sion, e no Jardim Coronel. Entre as diversas situações encontradas estão fome, sede, atropelamento, doenças graves, envenenamentos,entre outras.

"O abandono sempre existiu. O desemprego, a falta de recursos, e até as mudanças de residência para apartamentos, são os motivos do abandono", aponta. Ela lamenta que algumas pessoas não têm consciência de que um bicho sente fome, dor, amor e saudade.

Para ela, o município necessita de um Centro de Zoonose ou de um abrigo. "Se houvesse, ao menos, um abrigo da Prefeitura para poder levar um animal doente ou atropelado, seria um suporte para nós, pois já não temos como abrigar todos".

O jornaleiro Gilson Pereira dos Santos, dono de uma banca de jornais na avenida Rui Barbosa, conta que já adotou dois animais de rua. "Um morador de rua pediu para deixar o seu cão Dom por um dia em casa, para procurar trabalho, mas não voltou. Agora estamos a procura de alguém que o adote".

BAZAR

Claudia e seu grupo organizam um bazar para arrecadar recursos aos animais. A clínica veterinária Belas Artes cede um espaço para realizar o bazar, mas com a pandemia passou a ser online.

O dinheiro arrecado é usado para fazer os resgates, comprar ração, pagar os lares temporários e o tratamento veterinário. A clínica não cobra consulta e nem internação, somente medicamentos, exames e castrações.

No mês de agosto, esse grupo realizou 11 castrações, duas vacinações, 10 atendimentos veterinários, além de exames de ultrassom, raio X e táxi dog. Arrecadaram ainda 515 quilos de ração distribuídos a nove lares temporários, mantidos mensalmente pelo grupo.

São vários grupos de protetores, mas o trabalho é feito em parceria,com a ajuda de colaboradores.Interessados em ajudar, podem acessara páginawww.facebook.com/bazaremproldosanimaisdeitanhaem.

O presidente da Câmara, vereador Hugo Di Lallo (Cidadania) e o vereador Peterson Gonzaga (DEM), apresentaram um requerimento, em junho, cobrando informações do Executivo sobre a abertura do Centro de Acolhimento de Animais.

OUTRO LADO

A prefeitura de Itanhaém informa que reformou um prédio, localizado no Jardim Coronel, para transformá-lo em um Centro de Acolhimento de Animais Domésticos, conforme a lei municipal 4.347 de 2019. O equipamento irá realizar a apreensão de animais doentes encontrados nas ruas ou aqueles que possam oferecer riscos à população. Apesar da recuperação do espaço já estar concluída, ainda necessita de adequações.

A Secretaria de Saúde preparou uma planilha de custos para realizar um chamamento público, nos próximos dias,e vai terceirizar a gestão do local à uma entidade de proteção de animais. A gestão geral do local será feita pela Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente.

E que a pasta realiza a castração diária de animais domésticos à população de baixa renda. O cadastro é realizado na Vigilância Sanitária, localizada na Rua Benedito Celestino, 17, na Vila São Paulo. No ano passado, foram feitas 869 esterilizações entre cães e gatos. Já a campanha de vacinação antirrábica, a prefeitura diz que ainda não recebeu as vacinas enviadas pelo Governo do Estado.