X
Cotidiano

AME Mais vai para o Crei e hospital ganha reforço

Unidade do Governo do Estado seria instalada no Hospital São José; no Humaitá, hospital ganhará salas de cuidados especiais com atendimento médico especializado

Prédio onde está instalado o Hospital Municipal, o antigo Crei, pertence ao Governo do Estado; equipe que cuida do projeto do AME visitará as instalações nos próximos dias / Matheus Tagé/DL

A saúde de São Vicente deve contar com mudanças nos próximos meses. Isso porque o Ambulatório Médico de Especialidades (AME) Mais previsto para a cidade deverá ser instalado nas dependências do Hospital Municipal, o antigo Crei, no Centro. Anunciado na metade do ano passado pelo Governo do Estado, o equipamento seria abrigado no Hospital São José, mas implicações jurídicas não permitiram a parceria. Com a mudança, o pronto-socorro será transferido para o prédio onde funciona atualmente o Centro de Especialidades Médicas, na Linha Amarela.

“O Governo do Estado já havia feito essa proposta tendo em vista a dificuldade em promover a instalação de equipamentos públicos em locais privados - que não sejam do próprio Estado ou do município. Entendemos que será mais ágil as adequações no antigo Crei. Não vejo problemas na alteração, uma vez que queremos vê-lo implementado em São Vicente o quanto antes”, destacou o deputado estadual Caio França (PSB), que intermedia as tratativas para a instalação da unidade no município.

Segundo o parlamentar a parceria com o Hospital São José não está descartada. “A ideia é promover convênio para a utilização de leitos do hospital e aumentar a capacidade de atendimento”, destacou França.

Nos próximos dias uma equipe do Governo do Estado, que trata da implementação do projeto – já está em modificação - deve visitar as instalações do Hospital Municipal.

Mudanças

O secretário de Saúde de São Vicente, Haroldo Fábio Genaro, confirmou a alteração no projeto e a transferência do pronto-socorro do Hospital Municipal para o prédio do Centro de Especialidades Médicas, que fica na Linha Amarela, na Esplanada dos Barreiros.

“O prédio onde funciona o Hospital Municipal é do Governo do Estado. A transferência do pronto-socorro para a Linha a Amarela será bom. É um local estratégico e próximo à rodovia. Uma equipe do Estado vai ao Hospital Municipal para fazer a avaliação das adequações para o AME Mais”, afirmou Genaro. O Centro de Especialidades Médicas mantido pela Prefeitura deve ser instalado em um prédio localizado no Centro da cidade.

Ele explicou que a estrutura do AME Mais permitirá a realização de exames de alta complexidade e ampliará a capacidade de atendimento da Região.

“Além das consultas, ele vai funcionar como um hospital dia com exames de alta complexidade que vão suprir não apenas demanda de São Vicente, mas das cidades da região como Cubatão e Praia Grande”, destacou.

Ainda de acordo com o secretário, a mudança não prejudicará as vagas em leitos hospitalares da cidade.

“Vamos, se necessário for, firmar parceria com o Hospital São José para mais leitos. Lembrando que a Maternidade Municipal já funciona lá e com Centro Cirúrgico. A parceria já existe”, destacou.

UBSs

Genaro também destacou que enviou ao prefeito Pedro Gouvêa (PMDB) projeto para ampliação do atendimento das Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município.  

“Pretendemos fazer o terceiro turno da saúde, onde algumas unidades estarão abertas até às 22 horas para consultas de clínica médica, ginecologia e pediatria”.

No Humaitá, hospital terá unidades especiais

Inaugurado em 2012, o Hospital do Humaitá será novamente reinaugurado. Desta vez, a unidade, que é voltada ao atendimento de baixa complexidade, receberá o reforço de duas salas para cuidados especiais com médico especialista. A intenção da Prefeitura de São Vicente é desafogar a demanda do Hospital Municipal e dos prontos-socorros da Área Continental.

“Serão 20 leitos com duas unidades com cuidados especiais e médico à disposição dos pacientes. O que a gente quer com isso é manter pacientes graves, infartados, por exemplo, no próprio Humaitá. Apenas os poli traumatizados serão encaminhados para o Hospital Municipal. A ideia é que o paciente seja bem atendido”, destacou o secretário.

O Hospital do Humaitá, passou por adaptações em 2014. Na época, o Diário do Litoral esteve no local. Os leitos estavam desocupados e, por falta de médicos, não haviam pacientes internados.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Nova York tem explosão de casos de covid-19 e governo culpa não vacinados

"Continuamos a ver sinais de alerta de picos de covid neste inverno e, embora a nova variante ômicron ainda não tenha sido detectada no estado de Nova York, ela está chegando", escreveu a governadora

Saúde

Brasil fecha fronteiras para 6 países por conta de nova variante

Variante Ômicron preocupa autoridades sanitárias

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software