Alunos não recebem o kit merenda em Mongaguá

Além de as crianças não estarem indo às aulas presenciais e não receberem o kit merenda, as mães também não estão recebendo o auxílio emergencial do governo federal

Comentar
Compartilhar
22 MAR 2021Por Nayara Martins07h25
Famílias estão sem comida em casa devido à falta de kit.Famílias estão sem comida em casa devido à falta de kit.Foto: NAIR BUENO/DIÁRIO DO LITORAL

Mães de alunos que estão matriculados nas escolas da rede municipal estão em situação bastante difícil, já que a prefeitura de Mongaguá, por meio do Departamento de Educação, não está fornecendo os kits de alimentação da merenda escolar desde o ano passado.

Além de as crianças não estarem indo às aulas presenciais e não receberem o kit merenda, as mães também não estão recebendo o auxílio emergencial do governo federal, o que agrava ainda mais a situação das famílias neste período de pandemia.

Cristiane de Jesus da Cruz, moradora do bairro Flórida Mirim, diz que a situação é bem grave e está desempregada. Ela tem cinco filhos, sendo que três estão na escola municipal. A última vez que recebeu o kit merenda foi em outubro do ano passado.

"Já ajudei outras famílias que também estavam sem alimento, mas estamos passando fome".

Conta que já procurou o departamento de Educação e o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS), mas eles dizem não ter informação sobre o retorno dos kits merenda. Ela recebe apenas o Bolsa Família.

Outra mãe que está em situação precária é Renata Donato, moradora do bairro Vila Atlântica, desempregada e com nove filhos. Três estão matriculados nas escolas municipais e dois na rede estadual, o restante já casou.

"Recebo apenas R$ 379,50 do Bolsa Família e aproveito para comprar alguns alimentos. Meu marido faz alguns bicos como motoboy e faço faxina, mas com a pandemia não aparece serviço". Também não recebe o kit merenda desde o ano passado e recebeu apenas uma cesta básica do CRAS, no final de 2020.

A professora Angélica Erbenia da Silva é outra que está desempregada e mora na Vila Seabra. Ela tem cinco filhos, sendo que dois estão na escola municipal, além de um bebê de seis meses e o marido desempregado.

"No ano passado recebi apenas um kit merenda, mas não era suficiente e dava para uma semana. Hoje temos um grupo de mães no WhatsApp e elas são quem fazem doações para as que não têm".

A advogada e conselheira tutelar suplente Marcia das Dores Silva explica que a prefeitura do município não se organizou para a distribuição dos kits merenda. "A prefeitura faz compras esporádicas de alimentos, por meio do programa Mongaguá Solidário, mas não sabemos quem recebe e nem quantas mães estão cadastradas no CRAS".

Diz que os kits estavam sendo entregues em algumas escolas, no ano passado, mas que as mães, este ano, precisam de ajuda. "Muitas famílias estão na informalidade, mas nem sempre conseguem trabalho, elas dependem desse alimento para dar às crianças. Algumas delas estavam comendo somente arroz puro".

OUTRO LADO

A Prefeitura de Mongaguá informa que as mães que relataram a necessidade de receber os kits foram assistidas. E que as famílias que possuem o Cadastro Único também receberam alimentação.

Diz ainda que em dezembro e janeiro, houve o recesso do calendário escolar. Em fevereiro, a Administração Municipal retomou as atividades nas creches municipais, além de iniciar o retorno gradativo das aulas, desde então, os alunos estavam recebendo alimentação nas unidades escolares.

Conforme a Administração, com o novo cenário da pandemia as aulas presenciais voltaram a ser suspensas. Diante disso, a cidade vai fornecer almoço para os alunos da rede municipal em dez unidades de ensino polo, a partir de hoje (22), de segunda a sexta-feira, das 10 às 12 horas.