Alckmin: redução de pressão só atinge quem não tem caixa d'água

O governador disse que as medidas de redução de pressão adotadas pela Sabesp são "feitas no mundo inteiro" e que são elas que evitaram até agora o rodízio de abastecimento

Comentar
Compartilhar
26 FEV 201515h11

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), comentou nesta quinta-feira, 26, a declaração do diretor metropolitano da Sabesp, Paulo Massato - que admitiu que a estatal mantém a pressão de água nas tubulações abaixo do recomendado pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), de 10 metros de coluna de água. Alckmin disse que a redução da pressão afeta os que não têm como reservar a água e que o Estado está distribuindo caixas d'água para diminuir o problema.

O governador disse que as medidas de redução de pressão adotadas pela Sabesp são "feitas no mundo inteiro" e que são elas que evitaram até agora o rodízio de abastecimento. Segundo o governador, para quem pode reservar água a redução de pressão é "quase imperceptível".

Segundo o governador, para quem pode reservar água a redução de pressão é

Alckmin comemorou ainda os novos números do programa de bônus da Sabesp. Segundo o governador, 71% da população de São Paulo fizeram economia suficiente para ganhar desconto na conta de água e outros 10% reduziram o consumo abaixo da margem exigida para ter direito ao bônus.