Alckmin defende ação da Polícia Militar durante protesto em São Paulo

De acordo com o governador, a PM agiu no sentido de proteger as pessoas que estavam concentradas na Praça da República para assistir aos shows em comemoração ao aniversário da cidade

Comentar
Compartilhar
27 JAN 201400h18

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) defendeu neste domingo, 26, a ação da Polícia Militar durante as manifestações contra a Copa do Mundo, no sábado, 25, em São Paulo. Para Alckmin, os policiais agiram com firmeza para proteger a população e evitar que uma tragédia acontecesse. "Esta é a orientação dada à Polícia Militar, que agiu dentro da lei", afirmou. O governador criticou a ação dos manifestantes mascarados, identificados como black blocs.

"As pessoas que participaram de atos de vandalismo e depredação não podem ser consideradas manifestantes", disse, acrescentando que a população de São Paulo não aceita esse tipo de coisa.

O governador Geraldo Alckmin defendeu a ação da PM (Foto: Edson Lopes Jr.)

De acordo com o governador, a PM agiu no sentido de proteger as pessoas que estavam concentradas na Praça da República para assistir aos shows em comemoração ao aniversário da cidade. "Havia crianças, idosos e famílias, que tinham de ser protegidas", completou. Alckmin lamentou os acontecimentos de sábado, que resultaram na detenção de 135 manifestantes - entre eles, 12 menores.

Alckmin não quis se pronunciar sobre o jovem baleado no confronto com os policiais. Ele argumentou que não tinha detalhes da ocorrência e que o Comando da Polícia Militar deveria se pronunciar a respeito do caso. O governador esteve em Santos para as comemorações dos 468 anos de aniversário da cidade.