Aeroporto recebe R$ 430 mil do Condesb

O repasse foi aprovado na reunião de ontem dos conselheiros, na sede da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), em Santos

Comentar
Compartilhar
03 MAR 201301h23

O aeroporto estadual Antonio Ribeiro Nogueira Junior, de Itanhaém, receberá R$ 430 mil do Fundo do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista (Condesb). O repasse foi aprovado na reunião de ontem dos conselheiros, na sede da Agência Metropolitana da Baixada Santista (Agem), em Santos.

O aporte será empregado no cercamento do aeroporto e na instalação de cabine elétrica. “A cerca especial dentro das especificações exigidas no aeroporto é porque ele se encontra próximo a mata. É para evitar a entrada de animais, e a cabine elétrica permitirá, em seguida, que a Secretaria de Estado dos Transportes faça o balizamento noturno — a iluminação da pista e a iluminação à distância para que as aeronaves possam visualizar a exata localização do aeroporto”, explicou o vice-prefeito de Itanhaém, Rui Santos.

Segundo Rui, a pista que hoje tem 1.350 metros também será ampliada. “Existe um estudo já concluído pelo Daesp (Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo) que possibilitará ampliar a pista do aeroporto em até 2.400 metros. Primeiro a pista será ampliada para 1.800 m e depois, para 2.400 m”.

O vice-prefeito afirmou que com a ampliação da pista, o aeroporto da Cidade poderia desafogar a demanda no Aeroporto de Congonhas. “Seria uma alternativa para aliviar o tráfego aéreo do Centro de São Paulo”.

Para Rui, o aeroporto de Itanhaém atenderia melhor vôos comerciais de passageiros do que o aeroporto da Base Aérea, em Guarujá. “Tecnicamente o aeroporto de Itanhaém é o mais viável para atender o tráfego aéreo da Baixada Santista porque o ano inteiro tem o teto bom. Não há neblina como acontece em Guarujá. E como a pista está de frente para o mar, pega o vento de frente, o que facilita tanto o pouso como a decolagem”.

Com a liberação dos recursos, a Prefeitura de Itanhaém pretende iniciar ainda este mês o processo licitatório para a contratação das obras, de acordo com o vice-prefeito. Rui acredita que até o final do ano, as melhorias, incluindo o balizamento noturno, já estejam concluídas para que o aeroporto funcione dia e noite, aumentando assim o fluxo aéreo.

“Hoje ele já o sétimo aeroporto do Estado operando 16 mil pousos e decolagens/ano. Hoje ele só opera durante o dia com vôos particulares e a Petrobras com tráfego de suporte as plataformas de petróleo e gás”. 

Cargas

O vice-prefeito disse ainda que com o balizamento noturno, o aeroporto poderá operar o transporte de cargas, devido a sua proximidade do porto de Santos e da Capital.