Aeroporto de Guarujá é prioridade para o Governo Federal

A afirmação é do ministro chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt

Comentar
Compartilhar
21 FEV 201318h47

Na manhã desta quinta-feira (21), a prefeita do Guarujá Maria Antonieta de Brito se reuniu, em Brasília, com o Ministro chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt, para tratar do processo de outorga do Aeroporto Metropolitano do Guarujá.

“A reunião foi extremamente importante porque estamos avançando no processo de outorga do nosso aeroporto. Estamos estabelecendo as ações necessárias, com a certeza de que está clara a importância do nosso pleito. Temos urgência de resposta, pois vivemos um tempo de turismo em pleno vapor, de crescimento das atividades portuárias e do pré sal, além da Copa que se aproxima”, avaliou Antonieta.

Durante a reunião, o ministro se demonstrou compromissado com o pleito apresentado pela prefeita e empenhado em acompanhar o processo de outorga de perto. Mais uma vez, Bittencourt ressaltou a importância estratégica do aeroporto do Guarujá para a população da Baixada Santista e para o Brasil. “O governo tem mais que interesse em levar desenvolvimento para o interior do Brasil. O governo tem o compromisso e já tem feito grandes investimentos neste sentido. O aeroporto de Guarujá, especificamente, é prioridade para nós”, afirmou Wagner Bittencourt.

Maria Antonieta de Brito em reunião com o Ministro chefe da Secretaria de Aviação Civil, Wagner Bittencourt (Foto: Divulgação)

O deputado federal Beto Mansur (PP-SP), que apoia a iniciativa da Prefeitura de Guarujá, saiu otimista da reunião. “Eu tenho certeza que vamos chegar a um bom tempo em que veremos os aviões pousarem e decolarem no Aeroporto Metropolitano do Guarujá. Esta é uma esperança não só para as nossas cidades da Região Metropolitana da Baixada, mas fundamentalmente para o Brasil porque é um aeroporto muito importante não só para o desenvolvimento do setor portuário, mas de toda atividade do pré sal que existe em nossa região”.

O Aeroporto de Guarujá será implantado em uma área de aproximadamente 2 milhões e 800 mil m², na Base Aérea de Santos, e atenderá ao turismo de passeio e de negócios, pequenas cargas, manutenção de aeronaves, aviação offshore e executiva. A previsão inicial é de que sejam criadas cerca de 500 vagas de emprego para a construção, e cerca de mil empregos, diretos e indiretos, na futura operação.