Abrigo de inverno emergencial de Santos lota com frio intenso

O local, que só é aberto em casos de demanda extra, recebeu mais de 75 moradores de rua em três dias

Comentar
Compartilhar
11 JUL 2019Por Caroline Souza07h00
O equipamento para população de rua tem funcionado com capacidade máxima, ou seja, 25 vagas preenchidas diariamenteFoto: Nair Bueno/DL

Seis moradores de rua foram encontrados mortos em São Paulo na última semana. A suspeita é de que o frio intenso, que atingiu todo o Estado, tenha causado os óbitos. Em Santos, mais de 75 atendimentos de pessoas em situação de rua foram registrados pela Prefeitura nos três últimos dias.

O abrigo emergencial Casa de Inverno foi criado especialmente para atendimento em dias de frio intenso. O equipamento tem funcionado com capacidade máxima, ou seja, 25 vagas preenchidas, além de quatro baias para cães dos atendidos.

O município possui ainda 200 vagas de acolhimento distribuídas na Seção de Acolhimento e Abrigo Provisório de Adultos, Idosos e Famílias em Situação de Rua (Seacolhe-AIF), na Seção de Abrigo para Adultos, Idosos e Famílias em Situação de Rua (Seabrigo-AIF), e em duas instituições conveniadas: o Albergue Noturno e a Casa das Anas.

As vagas são acessadas por encaminhamento de serviços da rede, principalmente o Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro Pop). A única exceção é o Albergue Noturno, que a população pode buscar diretamente, sem necessidade de encaminhamento.

Nestes dias de baixas temperaturas, a Prefeitura também amplia a realização de abordagem nas ruas, com três veículos durante o dia, um das 18h à meia-noite, e outro de madrugada.

CENSO.

De acordo com o último censo realizado em Santos, 797 pessoas vivem em situação de rua. O número inclui acolhidos e pessoas vivendo nas ruas de fato. A região da Vila Nova foi apontada como uma das localidades com maior concentração desse público.

O censo será atualizado através do "Projeto Integrado de Pesquisa e Extensão sobre População em Situação de Rua no município de Santos - SP", em parceria com a Universidade Federal de São Paulo (Unifesp).

Todas as informações sobre as diferentes iniciativas do município para a população em situação de rua estão disponíveis no site do Programa Novo Olhar (www.santos.sp.gov.br/?q=hotsite/programa-novo-olhar).

OUTRAS CIDADES.

Praia Grande afirma estar construindo um abrigo noturno, com capacidade para dezenas de moradores. A meta da Prefeitura é inaugurar o local ainda neste semestre.

Ao longo de todo o ano, a Cidade oferece um local onde os moradores de rua podem tomar banho, se alimentar e, em alguns casos, pernoitar. É a Casa de Estar Ferdiano Alves de Oliveira, no Bairro Vila Sônia. Lá, eles são encaminhados para os serviços sociais do Município, que visam a reinserção do morador de rua na sociedade. Também durante o ano todo, a Casa de Estar conta com um serviço de Busca Ativa, que vai ao local e conversa com os moradores para que aceitem ajuda.

Itanhaém também não possui abrigo exclusivo para o inverno, mas as abordagens nas ruas foram intensificadas. O centro de acolhimento referência para a população de rua no município é a Casa João Paulo II, que fica aberto durante todas as estações do ano.

Antes de serem encaminhadas ao local, essas pessoas passam por triagem realizada por profissionais do Centro Pop. A Casa João Paulo II conta com um total de 25 vagas, sendo 16 já ocupadas.

Em Bertioga, a Casa de Passagem é a referência nos atendimentos à população de rua. O local fica na esquina da Rua Ayrton Senna com a Rua Manoel Gajo, 1108. Segundo a Prefeitura, o local conta com atendimento especializado de Assistente Social e Psicólogo "para a construção de projetos de vida e/ou a reinserção na família".

"O local também fornece alimentação, estadia, cuidados com a higiene e transporte ao município ou estado de origem, caso seja de interesse da pessoa. Já o trabalho de abordagem é realizado por educadores sociais com o intuito de acolhimento e fortalecimento de vínculos, visando a futura reinserção social dos moradores de rua", esclareceu, em nota, a Prefeitura.

Diariamente, a equipe de Abordagem Social de Guarujá realiza busca ativa e identificação de pessoas em situação de rua, a fim de ofertar o serviço do Centro Pop, que fica na Rua Brigadeiro Eduardo Gomes, 1521, Vila Áurea. Atualmente, segundo dados da Secretaria de Desenvolvimento e Assistência Social (Sedeas) de Guarujá, 145 pessoas vivem nas ruas do município. "De janeiro a maio, por exemplo, foram abordados 765 moradores, 428 foram encaminhados ao Centro Pop e 120 foram recambiados", afirmou, em nota, a Prefeitura.

A Unidade de Acolhimento José Calherani, na Rua Manoel Otero Rodrigues, 389, Jardim Boa Esperança, é o abrigo de Guarujá. O local possui 48 vagas, sendo 32 masculinas e 16 femininas.

Ainda segundo a Administração Municipal, o abrigo está passando por reformas. "A novidade é a fusão entre os dois equipamentos: Centro Pop e Acolhimento, aumentando mais 16 vagas masculinas. O objetivo é atender a população no mesmo local, que contará também com um espaço para os animais de estimação". 

SV e Cubatão possuem espaço para abrigar animais da população de rua

Os animais pertencentes às pessoas em situação de rua são aceitos em toda a rede socioassistencial de São Vicente.

Para acessar uma das vagas, a pessoa em situação de rua passa pelo Centro Pop. Neste equipamento, os usuários recebem alimentação, atendimento com psicólogos e assistentes sociais, realizam atividades recreativas e tem espaço para a higienização.

Um dos abrigos de Cubatão a 'Casa do Recomeço' também possui espaço para animais e carroças. Segundo a Prefeitura, as equipes da Secretaria Municipal de Assistência Social (Semas) ampliaram as abordagens para este inverno. No entanto, o município não possui um abrigo de inverno. Além da 'Casa do Recomeço', o município possui a 'Casa de Emaús'.

A 'Casa de Emaús' oferece, através de um termo de parceria, 20 vagas. Já a 'Casa do Recomeço' possui dez vagas. Em ambas é possível pernoitar.

De acordo com a Semas, o município possui 36 pessoas em situação de rua.