73% de usuários aprovam transporte coletivo de Santos

A pesquisa ouviu 1.248 pessoas, em cinco regiões da Cidade, durante o mês de junho

Comentar
Compartilhar
02 MAR 201321h41

A segunda pesquisa anual de satisfação dos usuários do transporte coletivo de Santos aponta que 72,9% dos passageiros aprovam o serviço de transporte público da Cidade. A pesquisa, encomendada pela Companhia de Engenharia de Tráfego (CET-Santos), foi realizada pelo Instituto de Pesquisas Científicas da Unisantos. O resultado do levantamento foi divulgado na tarde de ontem, na sede da CET, pelo presidente da companhia Rogério Crantschaninov, na presença do diretor da Viação Piracicabana Alceu Cremonesi e do diretor operacional da concessionária, Fausto Santos.

Foram feitas 1.248 entrevistas domiciliares durante o mês de junho, em cinco regiões da Cidade, abrangendo bairros das zonas leste e noroeste. A pesquisa revela aumento de 3,8% na satisfação dos usuários santistas em relação a 2006 (69,1%). Já 25,1% dos entrevistados disseram que o serviço é regular e 2%, consideraram o transporte ruim e péssimo.

De acordo com a pesquisa, a qualidade do transporte público melhorou para 60,1% dos usuários. Em 2006, o percentual era de 53%. A qualidade permanece igual para 43% das pessoas entrevistas, contra 38% de 2006. Já a insatisfação (piora) registrou queda de 4% para 1,8% de um ano para cá.

Cada usuário respondeu a 25 perguntas pertinentes as linhas que mais utiliza, horários e motivos de utilização, conforto nos veículos, tripulação e avaliação geral e comparativa aos anos anteriores. No universo pesquisado, 48,4% dos passageiros têm como destino o trabalho, lazer (14,3%), médico (9,2%), casa (6,7%), escola (6,2%), compras (4,4%) e outros fins (10,8%).  

Segundo o presidente da CET-Santos, o estudo contratado em março do ano passado e que será realizado todos os anos tem por objetivo “identificar as dificuldades do transporte apontados pela população e solucionar os problemas, aprimorando assim o gerenciamento do transporte” que conta com uma frota de 310 ônibus e microônibus, sendo que 50% dos veículos, são adaptados para portadores de deficiências.

Perguntado sobre a possibilidade da totalidade da frota oferecer acessibidade aos portadores de deficiências, o diretor da Piracicabana respondeu “que a oferta de veículos adaptados é sempre adequada a demanda de passageiros”.

Cremonesi adiantou que cinco microônibus já estão sendo adaptados para cadeirantes e devem entrar em circulação em 30 dias. Crantschaninov destacou que a implantação do Sistema de Supervisão e Monitoramento (SISMO) na frota, por meio da tecnologia de GPS, é outro instrumento que contribuirá para a melhoria da qualidade do transporte, identificando imediatamente problemas nas linhas e itinerários.

O SISMO começou a operar no dia 5 de junho em 46 ônibus novos. Hoje 110 coletivos já circulam com o sistema GPS. Cremonesi afirmou que os veículos da frota têm cerca de 1,3 anos de uso.

Abrigos

Até janeiro do próximo ano serão instalados 350 novos abrigos nos pontos de ônibus, conforme Cremonesi. “A instalação começou em março deste ano e mais 140 serão instalados em cerca de 180 dias”, afirmou o diretor da Piracicabana.