2018 será o ano de entregas para São Vicente, diz Caio França

Caio afirmou que 2017, primeiro ano de gestão do prefeito Pedro Gouvêa, foi o ano de ‘arrumar a casa’ e este ano é o de entregar projetos

Comentar
Compartilhar
22 JAN 2018Por Caroline Souza12h31
2018 será o ano de entregas para São Vicente, diz Caio França2018 será o ano de entregas para São Vicente, diz Caio FrançaFoto: Rodrigo Montaldi/DL

O deputado Caio França se diz ‘muito otimista’ com relação a 2018. Em comemoração aos 486 anos da cidade de São Vicente, a reportagem do Diário do Litoral conversou com o com ele para saber quais projetos serão entregues este ano.

Caio afirmou que 2017, primeiro ano de gestão do prefeito Pedro Gouvêa, foi o ano de ‘arrumar a casa’ e este ano é o de entregar projetos.

Diário do Litoral - O que você gostaria de destacar do ano de 2017 para São Vicente?

Caio França - 2017 foi um ano de arrumar a casa. Primeiro, a gente ajudou muito na interlocução do parcelamento de quase todas as dívidas com o Estado. Além disso, conseguimos alguns recursos importantes para a cidade, como o de R$ 1,5 milhão para fazer a pavimentação da Avenida Penedo. Outra conquista foi na área da educação, com a Universidade Virtual do Estado de São Paulo (Univesp) e a Escola Técnica de Economia Criativa (Etecri). Outro destaque foram as duas entregas de conjuntos habitacionais: o Primavera Penedo e o Tancredo. O ano de 2017 também foi decisivo para o Ame Mais, embora a entrega vá acontecer no início deste ano.

DL - Já tem uma data para entregar o Ame Mais?

Caio - Dia 26 de janeiro está previsto para entregarmos o prédio para o governador. Não sei como funciona a parte de contratação, mas imagino que dentro de um mês mais ou menos isso seja feito.

DL - Como deputado mais jovem do Estado, você tem outros projetos para jovens?

Caio - Primeiro nós vamos fazer ampliação dos cursos da Univesp e das Etecris. No Gleba II, teremos uma quadra de futebol society e uma pista de skate. O governo também vai retomar o projeto Jepom, que vai envolver diversas cidades, entre elas São Vicente – e será totalmente custeado pelo Estado.

No geral, vamos entregar muitas pavimentações e o Ame Mais. Tem uma luta nossa para trazer o Poupatempo aqui para a cidade. E estamos muito envolvidos com o projeto de um novo Centro Administrativo ali na área do Centro de Convenções, onde vai existir um Centro Tecnológico; a Rodoviária; a Guarda Municipal; a Secretaria de Educação; e possivelmente a 1ª Cia da Polícia Militar.

DL - Você tem alguma data para os equipamentos que vão ocupar o Centro de Convenções?

Caio - O Centro Tecnológico e a Rodoviária já estão em obras. Eu imagino que até o primeiro semestre a gente já tenha tudo pronto.

DL - Em junho do ano passado, durante uma reunião do Condesb, você falou que iriam trabalhar em conjunto para melhorar a saúde da região. Tem outros projetos para a saúde na Baixada Santista?

Caio - Fizemos a entrega do Hospital de Itanhaém ano passado, mas ele ainda não está funcionando na sua plenitude. Então, estamos na luta para fazer a ampliação dos leitos.

Da mesma forma, a gente tem o Hospital dos Estivadores, em Santos, que também não funciona em sua plenitude e tem capacidade para ser um equipamento regional.

Aqui em São Vicente, arrumei recurso para fazer uma reforma no CREI. Mas também precisamos retomar o Pronto Socorro da Náutica, que está parado desde o governo anterior. É uma tarefa para esse ano, até porque ele ajuda a desafogar o CREI.

DL - Você está otimista com relação a 2018?

Caio - Muito otimista, 2017 foi um ano de arrumar a casa e 2018 é um ano de entrega de muitas coisas. Além disso, vamos a ascensão do Márcio França para governador e isso vai facilitar ainda mais os pleitos que a cidade sonhou nos últimos anos e não conseguiu tirar do papel.

Tivemos uma notícia muito positiva para Área Continental. A gente imaginava que a Ponte dos Barreiros tinha que ser derrubada e reconstruída, mas o laudo do IPT (Instituto de Pesquisas Tecnológicas) mostrou que só é preciso revitalizar.

No mais, eu diria que a cidade tem duas grandes tarefas: pavimentação dos buracos na rua e Saúde Pública. Que são as duas principais queixas na cidade e com razão. O Ame vai ajudar muito na Saúde e a pavimentação vai ser feita.

DL - A ponte vai estar revitalizada ainda este ano?

Caio - Começaremos este ano, mas não é uma obra tão simples de ser feita, acredito que este ano a gente consiga dar um bom andamento, mas não sei se estará terminada. É importante ressaltar que vamos cobrar agilidade, mas as obras do VLT exigem, por exemplo, licenciamento ambiental.

DL - Você falou da ascensão do Márcio França, qual é a sua expectativa com relação a isso?

Caio - A expectativa é uma das melhores possíveis. Ele é um agente político que conhece muito a região e não tenho dúvidas que vai fazer o possível para que a Baixada esteja no centro dos principais investimentos do Estado. Sem detrimento a outras regiões, claro. Estamos animados com a possibilidade de um filho da nossa região assumir o governo depois de muitos anos.

DL - Para finalizar, tem algum projeto pessoal que você gostaria de concretizar este ano?

Caio - Meu desafio de mandato sempre foi o Ame, porque foi uma luta que fiz desde quando era candidato. Então, confesso que a entrega do Ame é a realização não só de um desejo meu, mas da cidade de São Vicente, que clamava por um equipamento de qualidade destinada à Saúde Pública.

Programação de Aniversário

No dia em que São Vicente completa mais um aniversário, às 8h, na Praça 21 Irmãos Amigos (Itararé), terá o hasteamento das bandeiras. Logo em seguida, às 9h30, na Arena onde é realizada a Encenação, o Cardeal e Arcebispo de São Paulo, Odilo Scherer, fará uma celebração eucarística em ação de graças à canonização de André de Soveral. À tarde, às 16h, a Creche Municipal Paulo de Souza será inaugurada ao lado da Subprefeitura (Av. Ulisses Guimarães, sem número – Rio Branco).

Para encerrar o dia festivo, show da cantora Sandra de Sá, a partir das 20h, no Litoral Music Festival, na arena do Itararé. Para esta apresentação, os ingressos de pista podem ser trocados por um quilo de alimento não-perecível no Paço (Rua Frei Gaspar, 384 – Centro) ou na Subprefeitura. A troca poderá ser realizada até o dia dos shows ou enquanto houver convites.