13º salário: consumidor brasileiro vai poupar e gastar menos com presentes e viagens

Caiu porcentagem de trabalhadores que vão usar benefício para pagar dívidas, devido à queda da inadimplência e às campanhas de renegociação

Comentar
Compartilhar
08 NOV 201313h35

A Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e o Instituto Ipsos fizeram uma pesquisa com consumidores brasileiros entre os dias 21 e 31/10 para saber a destinação da primeira parcela do 13º salário.

Em resumo, os trabalhadores vão poupar mais e gastar menos com presentes e viagens. Existe ainda uma grande parcela de indecisos (20,4%) - o que poderá alterar o cenário.

O dado que mais surpreende é o relativo ao pagamento de dívidas: 24,5% dos consumidores responderam que pretendem quitar débitos, ante 32,6% em 2012. "Essa diminuição em relação ao ano passado se justifica pela queda da inadimplência e pela realização de grandes campanhas recentes de renegociação de dívidas", afirma o presidente da Associação Comercial de São Paulo, Rogério Amato. Para renegociar uma dívida, basta pagar a primeira parcela de um novo carnê.  

A intenção de comprar presentes ficou estável. No ano passado, 18,7% dos entrevistados responderam esta opção e neste ano foram 18,4%. "Este cenário reflete o otimismo do consumidor, que está em patamar mais baixo, conforme o Índice Nacional de Confiança da ACSP", avalia Amato. Ele completa que a alta taxa de juros e a desaceleração da massa salarial também contribuem para este cenário.

O dado que mais surpreende é o relativo ao pagamento de dívidas: 24,5% dos consumidores responderam que pretendem quitar débitos, ante 32,6% em 2012 (Foto: Matheus Tagé/DL)

Mais gente optou por poupar neste ano: a opção foi apontada por 20,4% contra 16,3% em 2012. Sendo assim, o consumidor mostra que quer se prevenir contra riscos futuros. 

Uma grande parcela de brasileiros não sabe ainda o que vai fazer com o 13º salário: 20,4% estão indecisos. É uma oportunidade para os setores de marketing de empresas convencerem o consumidor a comprar ou viajar.

Com a alta e as incertezas do dólar, o que reflete nos preços das passagens aéreas e dos pacotes turísticos, menos brasileiros vão viajar usando o 13º salário. No ano passado, 9,3% tinham essa intenção - neste ano, são 6,1%.

Segundo o Dieese, neste ano 82,3 milhões de brasileiros receberão 13º salário (cerca de dois milhões a mais que 2012). O valor médio do benefício será de R$ 1.740 por trabalhador, o que vai injetar R$ 143 bilhões na economia, ou 9,8% a mais do que em 2012.