Bertioga é a segunda da Baixada em desenvolvimento econômico e social

Estudo é da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan),que acompanha anualmente o desenvolvimento socioeconômico dos mais de cinco mil municípios brasileiros nas áreas de Emprego e Renda, Educação e Saúde

Comentar
Compartilhar
07 JUN 201413h05

Bertioga é a segunda cidade da Região Metropolitana da Baixada Santista, em desenvolvimento socioeconômico, conforme aponta estudo realizado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan). O Município aparece na 283ª posição em nível nacional e 137ª no estadual. Seu índice de desenvolvimento também foi considerado alto com 0,8059.

O resultado da pesquisa divulgado no último fim de semana, teve como base o ano de 2011 e leva em consideração três áreas de atuação: emprego e renda, educação e saúde. O índice varia de 0 (mínimo) a 1 ponto (máximo) para classificar o nível de cada localidade; em quatro categorias: baixo (de 0 a 0,4), regular (0,4 a 0,6), moderado (de 0,6 a 0,8) e alto (0,8 a 1) desenvolvimento. Quanto mais próximo de 1, maior o desenvolvimento da localidade.

De acordo com Rodolfo Amaral, diretor da R Amaral Associados, esta é a primeira vez que Bertioga entra no grupo classificado de alto desenvolvimento, com pontuação superior a 0,8, no índice consolidado. A Cidade também estreia no seleto grupo de alto desenvolvimento na área da saúde, com 0,8174. Já na Educação, o Município já estava neste grupo, mas em 2011 conseguiu o recorde de 0,8174.

Embora a área de emprego e renda esteja no nível de ‘desenvolvimento moderado’,  Amaral ressalta que Bertioga também deve comemorar o crescimento, já que saiu de 0,6211 em 2005 para 0,7130 em 2011,ou seja, um avanço de 14,4% desde a criação do Índice Firjan de Desenvolvimento Municipal (em 2008), e de 19,71% na gestão do prefeito Mauro Orlandini.

Para o prefeito Mauro Orlandini, a colocação de Bertioga como a segunda da Baixada Santista no Índice de Desenvolvimento Municipal, deve-se a políticas públicas voltadas à melhoria da qualidade de vida da população, com investimentos na Educação, Saúde e Desenvolvimento Social (Foto: Divulgação)

“Durante a gestão Orlandini, o índice tem crescido de forma acentuada no contexto nacional e estadual. Em apenas dois anos, ganhou 693 posições no ranking nacional e 246 no estadual. Na região metropolitana ficou na segunda colocação e Santos na primeira”, analisa Amaral.

Para o prefeito Mauro Orlandini, a colocação de Bertioga como a segunda da Baixada Santista no Índice de Desenvolvimento Municipal, deve-se a políticas públicas voltadas à melhoria da qualidade de vida da população, com investimentos na Educação, Saúde e Desenvolvimento Social. Outro ponto destacado pelo prefeito são os investimentos em infraestrutura urbana, que vêm atraindo novos empreendedores para o Município, gerando emprego e renda, além da fomentação do turismo, que é a principal vocação da Cidade.

Pesquisa

A metodologia do IFDM possibilita determinar, com precisão, se a melhora relativa ocorrida em determinado município decorre da adoção de políticas específicas ou se o resultado obtido é apenas reflexo da queda dos demais municípios.

Neste ano (2014), a metodologia foi aprimorada para captar novos desafios do desenvolvimento brasileiro para esta nova década. O principal incremento foi situar o Brasil no mundo. A nova metodologia buscou padrões de desenvolvimento encontrados em paises mais avançados, utilizando-os como referência para os indicadores municipais.