Ativista Sininho é indiciada por incitação à violência

A polícia apura responsabilidades por atos violentos em protestos no Rio em junho do ano passado. Marino vai pedir vistas ao inquérito para saber detalhes das investigações

Comentar
Compartilhar
13 JUN 201419h43

A ativista Elisa de Quadros Sanzi, conhecida como Sininho, foi indiciada hoje (13) no inquérito da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática por incitação à violência, segundo o advogado dela, Marino D' Icarahy.

A polícia apura responsabilidades por atos violentos em protestos no Rio em junho do ano passado. Marino vai pedir vistas ao inquérito para saber detalhes das investigações. A Polícia Civil informou o caso corre sob sigilo de Justiça.

O advogado reclamou por não ter acesso a todo o processo. Segundo ele, o delegado não disse quais são os crimes pelos quais Elisa Quadros foi indiciada, e o motivo que a ativista foi chamada para prestar esclarecimento nesta sexta-feira.

A ativista Sininho foi indiciada hoje por incitação à violência (Foto: Agência Brasil)

“Soube apenas por informação verbal do delegado, que ela estaria indiciada por incitação a atos violentos. Mas eu perguntei em função de quê? Ninguém sabe responder", disse Marino D' Icarahy.

Em nota, a Polícia Civil informou que "de acordo com informações da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática, ela [Elisa de Quadros Sanzi] foi ouvida, nesta sexta-feira (13), na unidade. O inquérito é um desdobramento das investigações iniciadas no ano passado pela especializada, que está correndo sob sigilo de Justiça".