Contraponto

  •  

    Di Lallo e o hospital

    Os vereadores de Itanhaém estão de olho na saúde do Município. O presidente da Câmara, vereador Hugo Di Lallo (PPS), está solicitando ao Hospital Jorge Rossmann e ao Instituto Sócrates Guanaes, informações sobre a implantação de um Pronto Socorro referenciado, “A ampliação do Hospital foi sem dúvida muito aguardada. Houve uma expectativa da ampliação das especialidades e também da implantação de um Pronto Socorro Referenciado, que ainda não aconteceu. O serviço está muito aquém do esperado”, revela.

     

  •  

    CROSS

    Outro requerimento de Di Lallo trata dos critérios estabelecidos para a disponibilização de vagas na Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde, o CROSS. Di Lallo critica fortemente os métodos utilizados para a vaga ser alcançada. “Qual a lisura e transparência desse processo. Queremos informações reais. Muitas vezes até o Ministério Público é acionado garantindo a vaga e o CROSS não atende. Quem tem prioridade. Precisamos de um maior entendimento a respeito da questão”, exige. 

  •  

    Crítico

    Alder Ferreira Valadão (SD), que é médico, lembra que foi crítico quando da transição do Consaúde (antigo administrador) para o Instituto Guanaes, “este instituto não tem capacidade para operacionalizar este elefante branco, onde foram investidos mais de R$ 65 milhões. Quase três anos após a inauguração, apenas um terço de sua capacidade funciona”.

  •  

    Culpa do Alckmin

    Alder também destaca que o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) tem sua parcela de culpa. “Alckmin prometeu o Pronto Socorro referenciado, que hoje desafogaria nossa UPA”, lamenta. O vereador sugeriu ainda, a criação de uma Comissão e a realização de uma audiência pública entre as partes, para prestar as informações necessárias para a cidade.

  •  

    Doação de sangue

    O vereador Carlos Antônio Ribeiro (PSDB) lembra que já apresentou um requerimento para o Instituto Guanaes sobre doação de sangue. “Espero que agora eles respondam a sua solicitação, a minha não responderam”, garante. O vereador Silvio Oliveira (PSDB) também tem outros requerimentos não respondidos. “Presidente, como sugestão poderíamos incluir nesse requerimento a Secretaria de Estado da Saúde, para que eles também se manifestem”.

  •  

    Não utilizados

    O vereador Peterson Gonzaga (DEM) ressalta que o Hospital tem equipamentos de ponta, porém não são utilizados. “Visitei as instalações e pudemos verificar que lá tem excelentes equipamentos, só que sem qualquer utilização. Precisamos cobrar pesado o Estado”.

  • sexta
    15 de fevereiro
  •  

    Audrey e a placa

    “O que o santista tem a ver com o desejo de uma vereadora em  homenagear (com recurso público) uma empresa? O questionamento é da página do Facebook Vereadores de Santos e a parlamentar em questão é Audrey Kleys (Progressistas). A proposta já tramita na Câmara santista pelo artigo 24 - mecanismo regimental que acelera os trâmites dos projetos no Legislativo. A empresa em questão é a Home Life – Assistência Domiciliar em Saúde, que comemora 13 anos.

  •  

    Audrey e o custo

    Segundo a pág. Vereadores de Santos, a placa e a homenagem serão custeadas com recurso público e a parlamentar santista julga que a matéria é prioridade, pois buscou e garantiu as assinaturas necessárias para que o assunto fosse carimbado com o selo do artigo 24, algo que só deveria ocorrer para casos realmente relevantes e em risco de perder a oportunidade. “O que o santista tem a ver com o apreço que a vereadora tem por uma determinada instituição privada? Por que os santistas (inclusive os que não obtém renda para se beneficiar dos serviços de tal empresa) devem pagar essa homenagem?”, dispara a página, ressaltando que a proposta seria uma inversão de prioridades, diante de tantas outras questões mais urgentes para tratar no Município, estas sim, de interesse público e de alcance coletivo. 

  •  

    Audrey e a justificação

    A parlamentar santista revela que a Home Life tem 100 funcionários contratados e gera dois mil empregos indiretos, além de realizar um “belíssimo” trabalho social na área esportiva. “Não estou prejudicando ninguém e muito menos o nosso município com esta ação. O dinheiro utilizado não pode ser usado para outra finalidade”, justifica.

  •  

    Peitola peitando

    Já está em vigor em Guarujá a lei 4.601 - originária do PL 116/2018, do Vereador Fernando Martins dos Santos, o Peitola (PSDB) - que dispõe sobre a obrigatoriedade dos estabelecimentos comerciais, hotéis, motéis, casas noturnas e similares anexarem aviso, em local visível, sobre os crimes de exploração sexual praticados contra crianças e adolescentes. A medida é amparada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente e tem por objetivo conscientizar a população a respeito da questão e, sobretudo, inibir a prática da exploração sexual comercial de crianças e adolescentes.

  •  

    Multa

    Os estabelecimentos que não cumprirem a exigência estarão inicialmente sujeitos a advertências e, em caso de reincidência, a multa de 10 salários mínimos e interdição do estabelecimento. “O Estado, o Município, a sociedade e a família são os responsáveis por cuidar do bem-estar das crianças e adolescentes”, enfatiza Peitola.

  • quinta
    14 de fevereiro
  •  

    Perguntar não ofende

    Pelas redes sociais, o presidente da Câmara de Santos, Rui de Rosis (MDB), postou a foto acima com a seguinte informação: “a convite do deputado Júnior Bozzella (PSL), estou em Brasília, no Ministério da Infraestrutura, junto do prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) e representantes da nossa Cidade, debatendo os rumos da gestão do Porto de Santos”. Será que ele e as autoridades presentes questionaram que a Companhia Docas do Estado de São Paulo (Codesp), até agora, está sob o comando de Casemiro Tércio dos Reis Lima Carvalho, sem sua nomeação ter sido publicada no Diário Oficial da União (DOU), ter sido aprovada pelo Conselho de Administração (Consad) e que o caso chegou ao Ministério Público Federal?

  •  

    Cadê o Aranha?

    “Lembro que na gestão anterior (prefeita Maria Antonieta de Brito), Sidnei Aranha (hoje secretário de Meio Ambiente de Guarujá) vivia criticando a falta de atitude do Executivo. Não sei se agora, como ele (Aranha) faz parte do governo, tem se manifestando a respeito das filas das balsas entre Guarujá e Santos”, disparou ontem uma leitora da Contraponto, após ler reportagem em que os vereadores Antônio Carlos Banha Joaquim (MDB) e o presidente da Câmara de Guarujá, Edilson Dias (PT), realizaram uma ação conjunta para criar mecanismos de monitoramento, informação e limitar o tempo de espera nas balsas em 20 minutos.

  •  

    Morador de Rua

    A Defensoria Pública de SP realiza amanhã audiência pública para tratar das políticas públicas em favor da população em situação de rua no município. O evento terá a participação de defensores Públicos e de membros do Núcleo Especializado de Direitos Humanos da Defensoria, além de profissionais do Centro de Atendimento Multidisciplinar (CAM) da instituição. O encontro começa às 9 horas na sede da Defensoria Pública na cidade (Avenida Ubirajara Keutenedjian, 51) e é aberto para a população em geral.

  •  

    Amado e a rodoviária

    O ex-candidato a prefeito de São Vicente e servidor público Kayo Amado (Rede) manifestou descontentamento com a nova rodoviária vicentina nas redes sociais. “Sou usuário constante de ônibus para ir e voltar do meu trabalho. Assim, tenho algumas análises do que observei: vias de acesso mal sinalizadas, banheiros masculinos com cabines sem portas e espaço de embarque e desembarque sem cobertura. Como inauguram um espaço com falhas grotescas como essas? Qual vai ser a compensação para com a política cultural do município, uma vez que o projeto do teatro municipal foi descartado naquele espaço? Quando começará a investigação sobre os recursos que foram investidos na falida obra do teatro?

  • quarta
    13 de fevereiro
  •  

    Indústria da multa

    A Câmara de Santos aprovou o projeto de lei complementar que torna obrigatória a realização de um estudo para implantação de radares. Será necessária a produção de relatórios periódicos que comprovem o histórico de acidentes nos locais onde os radares estão ou serão instalados. De autoria da vereadora Telma de Souza (PT), a propositura tem como objetivo o enfrentamento à indústria de multas. Cabe agora o prefeito Paulo Alexandre Barbosa (PSDB) sancionar para virar lei. 

  •  

    Reféns

    “Não podemos ficar reféns de uma indústria de multas. A população está cansada! Há necessidade de tantos radares? Eles foram instalados nos locais onde realmente deveriam? Não havia um estudo que oferecesse tais respostas e, agora, ele será realizado periodicamente”, afirma a vereadora.

  •  

    Sobrou para a CET

    Com a medida, a Companhia de Engenharia e Tráfego (CET) de Santos terá que dar publicidade, em seu site institucional (http://www.cetsantos.com.br/), sobre tudo que estiver relacionamento ao funcionamento dos radares: horário de funcionamento, localização, limites de velocidade dos equipamentos fixos e móveis e relatórios periódicos que comprovem o histórico de acidentes nos locais posicionados.

  •  

    Tenente Coimbra

    Ontem, o deputado estadual Tenente Coimbra (PSL) lançou, em suas redes sociais, um processo seletivo para cargos de assessores e estagiários integrarem sua equipe. O processo terá maiores informações no dia 20. O deputado afirma que todos os currículos enviados terão as mesmas oportunidades. “As pessoas serão selecionadas de forma terceirizada, não terei nenhum envolvimento com isso. Quero que todos tenham as mesmas oportunidades e sejam valorizados pelas suas capacidades e seus reconhecimentos”.

  •  

    Conchavos em PG?

    Apesar da data-base para renovação do acordo coletivo de trabalho ser em maio, a diretoria do Sindicato dos Servidores Municipais de Praia Grande iniciou a campanha salarial. Três reuniões já foram realizadas. Segundo o presidente do Sindicato, Adriano Roberto Lopes da Silva ‘Pixoxó’, os encontros prosseguirão nesta e nas próximas semanas, até abranger todos os setores. Nessas reuniões, explica o sindicalista, além de reivindicações, o funcionalismo apresenta também propostas de encaminhamento da campanha salarial.  “Pela primeira vez, depois de muitos anos de inércia e conchavos de gabinetes, os servidores terão uma campanha salarial digna desse nome, com sua efetiva participação em todos os estágios”, diz Adriano.

Colunas

Contraponto