X

Repórter da Terra

Petrobras fará maior investimento em 40 anos na RPBC para produzir combustíveis 'verdes'

O diretor-executivo de Transição Energética e Sustentabilidade da Petrobras, Mauricio Tolmasquim, confirmou na última terça-feira que a empresa construirá uma unidade para produção de biocombustíveis na Refinaria Presidente Bernardes, em Cubatão, a RPBC. Essa será a primeira planta industrial do País dedicada exclusivamente à conversão de óleos vegetais em bioquerosene de aviação (BioQAV) e em diesel 100% renovável (Diesel R). O investimento (Capex) no Programa  BioRefino será de US$ 600 milhões, algo em torno de R$ 3 bilhões.

O anúncio foi feito durante evento no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), no Rio de Janeiro.

O detalhamento da carteira de projetos da Petrobras para os próximos cinco anos só será apresentado formalmente em novembro, mas esta coluna apurou que a nova planta vai processar 790 mil toneladas de óleos vegetais por ano. 

A capacidade de produção será de seis mil barris por dia de bioquerosene de aviação e outros seis mil barris por dia de Diesel R. As obras podem começar já em 2024 e devem estar concluídas até 2028.

O investimento será o maior em quatro décadas na RPBC e representa um marco na transformação da Petrobras de uma empresa dedicada estritamente aos derivados de petróleo para uma atuação mais abrangente e diversificada no segmento de energia.

BioQAV para o mundo

O Programa BioRefino é um dos destaques do Plano Estratégico da Petrobras para os próximos cinco anos e projeta uma demanda crescente por combustível sustentável de aviação (SAF, na sigla em inglês). A partir de 2027, o setor estará sujeito a regras mais restritivas nos voos internacionais.

Como desdobramento do Acordo de Paris, a Organização Internacional da Aviação Civil (ICAO) determinou a introdução gradual de combustíveis sustentáveis pelas companhias aéreas. A ICAO reúne 191 países-membros e o Acordo de Paris foi assinado em 2015 durante a Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima, a COP21.

O objetivo da ICAO e do Acordo de Paris é conter as mudanças climáticas causadas principalmente pelo acúmulo de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. O CO2 é gerado a partir da queima de florestas e do uso de combustíveis fósseis, como gasolina, diesel, querosene de aviação e carvão.

E essa nova geração de combustíveis sustentáveis, como o diesel renovável e o bioquerosene a serem produzidos na RPBC, têm potencial para reduzir as emissões de gases de efeito estufa em até 90% em relação aos combustíveis derivados de petróleo.

RPBC estratégica

A refinaria de Cubatão foi escolhida para abrigar a nova unidade devido à proximidade com o mercado consumidor da Região Sudeste.

O Diesel R também é isento de enxofre, o que deve melhorar a qualidade do ar nas cidades com grandes frotas de ônibus e caminhões. A nova planta industrial também deverá produzir nafta ‘verde’, matéria-prima para produção de plásticos renováveis.

A RPBC está em operação desde 1955 e foi a primeira grande refinaria construída no Brasil, resultado de um plano de investimentos no pós-guerra. Na época da inauguração, ela atendia 50% do mercado nacional de derivados de petróleo. Hoje, responde por 8%.

Empregos e tragédia na Vila Socó

Na década de 1980, a Petrobras e outras indústrias do Pólo Petroquímico de Cubatão foram obrigadas a fazer investimentos bilionários devido aos altos níveis de poluição atmosférica, que provocavam até o nascimento de crianças anencéfalas no Município. A concentração de gases criava o risco até de colapso nas encostas da Serra do Mar, com a ameaça de deslizamentos de grandes proporções devido à perda de vegetação.

Em fevereiro de 1984, a RPBC também foi protagonista da tragédia da Vila Socó, incêndio de grandes proporções que consumiu centenas de barracos e provocou a morte de 93 pessoas, segundo dados oficiais. Dados extra-oficiais sugerem mais de 500 vítimas fatais. O incêndio sem precedentes no mundo aconteceu após vazamento de 700 mil litros de gasolina pelo mangue onde estavam as palafitas.

Entre 2005 e 2010, a Petrobras voltou a investir na RPBC, com aporte de R$ 1,2 bilhão na modernização tecnológica das operações. Os serviços motivaram a abertura de oito mil novos empregos.

Já no primeiro semestre de 2023, a refinaria de Cubatão recebeu investimento de R$ 720 milhões na maior parada para manutenção de sua história. O serviço teve a participação de 6.500 pessoas.

A capacidade instalada da Refinaria Presidente Bernardes é de 178 mil barris/dia. A RPBC produz gasolina aditivada, óleo diesel, gás de cozinha, querosene de aviação, combustível para navios (bunker), nafta e enxofre.

Filosofia do campo:

“Quando os ventos de mudança sopram, umas pessoas levantam barreiras. Outras constroem moinhos de vento”, Érico Veríssimo (1905/1975), escritor gaúcho, em ‘O Tempo e o Vento’.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Escola de Inovadores

Centro Paula Souza abre inscrições para curso de empreendedorismo

Curso online gratuito ensina pessoas com espírito empreendedor a transformar ideias inovadoras em modelos de negócios

FISCALIZAÇÃO

Serviço de Inspeção de SP atinge marca de 600 estabelecimentos registrados

São 311 registrados na cadeia de carne, 152 na de leite, 51 na de pescados, 56 na cadeia de ovos e 31 em mel

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter