X

Repórter da Terra

Atrasos no Porto batem recorde em janeiro e atingem 85% dos navios

Um levantamento feito pela startup ElloX Digital em parceria com o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) revelou que 85% dos navios que atracaram em Santos sofreram atrasos ou alterações nas escalas. Os dados são relativos ao mês de janeiro e foram divulgados na última quarta-feira. Esse percentual é recorde e mais do que triplicou na comparação com janeiro de 2023. No mês passado, a Ello X Digital, especialista em tecnologia no segmento logístico, detectou 78 atrasos ou alterações nas escalas.

Há um ano, foram registradas 25 ocorrências do gênero. O recorde anterior havia sido registrado em novembro de 2023, com 81% de atrasos ou mudanças nas escalas.

“Tais problemas estão resultando em adiamentos regulares de embarques e pátios abarrotados de contêineres nos terminais portuários, que estão com dificuldades para receber cargas devido a limitações físicas de espaço do terminal”, revela o diretor técnico do Cecafé, Eduardo Heron.

Os atrasos e o pouco tempo de gate (portão aberto no terminal para entrada dos contêineres) também impactaram diretamente o planejamento de embarques das empresas e geraram custos adicionais aos exportadores, “que seguem enfrentando esses entraves para cumprir os prazos e honrar seus compromissos”, conforme reforçou Heron.

No mês passado, apenas 13% dos procedimentos de embarque tiveram prazo superior a quatro dias de gate aberto por navios. Outros 54% possuíram entre três e quatro dias e 19% tiveram menos de dois dias de período de gate aberto.

Desde o início da parceria entre a startup e o Cecafé, em agosto de 2023, a ElloX recebeu 44 solicitações de evidências por cobranças indevidas que totalizaram US$ 56 mil.

Com a comprovação de que os atrasos nos embarques não foram da responsabilidade dos exportadores parte dessas cobranças já foram canceladas.

Consultada, a Autoridade Portuária de Santos (APS) informou que a atracação de navios “está normal, sendo que alterações de escalas de embarcações são naturais e não significam atrasos, uma vez que decorrem de diversos fatores: conveniência dos operadores marítimos e portuários, clima, desembaraço documental, dentre outras situações menos comuns”.

A APS disse ainda que “o embarque de café é feito em contêineres, cujas embarcações funcionam em linhas (como as de ônibus), de forma que não há falta de navios. Como exemplo, o Porto recebeu na semana passada (1º de fevereiro) o navio MSC Natasha XIII, com 366 metros, o maior navio da história a atracar em seu cais”.

Preço do café...
Os preços do café robusta subiram com força em janeiro. Segundo o Indicador Cepea/ESALQ, a saca de 60 quilos fechou o mês valendo R$ 854,71 (tipo 6, peneira 13 acima). Esse é o maior valor real (deflacionado pelo índice IGP-DI) desde outubro de 2021. O Indicador Cepea/ESALQ é elaborado pela Escola de Agronomia da USP.

...dispara em janeiro...
Na média, a saca foi negociada no primeiro mês do ano por R$ 802,67. Isso significou alta de 8% em relação a dezembro. Segundo o Cepea, além da demanda externa aquecida, o impulso nas cotações também vem de incertezas relacionadas à produção interna, especialmente no Espírito Santo, campeão na produção do café robusta.

...’irriga’ o Espírito Santo...
O café canéfora, também chamado de robusta, tem na variedade conilon a principal representante aqui no Brasil. O grão é a principal fonte de renda em 80% dos sítios e fazendas capixabas. Essa riqueza está espalhada por 283 mil hectares, área equivalente à de 283 mil campos de futebol. Mas, ele também é colhido na Rondônia e em outras ‘terras quentes’.

...e encarece o ‘espresso’
As características sensoriais do conilon são menos intensas que no arábica, produzido em São Paulo e Minas Gerais, por exemplo. Por outro lado, o canéfora, robusta ou conilon tem mais cafeína e antioxidantes sendo também uma planta mais resistente ao estresse hídrico. O café conilon é o preferido da indústria de café solúvel. Sua composição também favorece a formação da espuma e a sensação de encorpado em blends de café espresso.

‘O céu de Ícaro...
Os físicos do Massachusetts Institute of Technology (MIT) analisaram o movimento de mais de bilhão de estrelas da Via Láctea e chegaram à conclusão que as mais distantes viajam mais lentamente que o esperado em comparação com as estrelas que estão mais próximas do centro da galáxia.

... tem mais poesia...
Os novos resultados baseiam-se na análise de dados obtidos pelo telescópio espacial Gaia. As descobertas levantam uma possibilidade surpreendente: o núcleo gravitacional da Via Láctea pode ter uma massa mais leve e conter menos matéria escura do que se pensava.

...que o de Galileu’
Como a maioria das galáxias do Universo, a Via Láctea gira como a água num redemoinho. Na década de 1970, a astrônoma Vera Rubin foi a primeira a observar que as galáxias giram de maneiras que não podem ser impulsionadas apenas pela matéria visível. Ela e seus colegas descobriram que a velocidade das estrelas permaneceu a mesma em toda a galáxia, em vez de diminuir com a distância. Eles concluíram que algum outro tipo de matéria invisível deve agir em estrelas distantes para lhes dar um impulso adicional.

O trabalho de Rubin foi uma das primeiras evidências da existência de matéria escura - uma entidade invisível e desconhecida que se estima ter peso maior do que todas as estrelas no Universo.

Filosofia do campo:
“...Tendo a lua aquela gravidade aonde o homem flutua/Merecia a visita não de militares, mas de bailarinos/E de você e eu...”, Herbert Vianna e Tetê Tillet, compositores, em ‘Tendo a Lua’.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Esportes

Popó derruba ex-BBB Bambam em 36 segundos e exige respeito ao esporte

A luta principal do Fight Music Show aconteceu na madrugada deste domingo (25); MC Gui também sai vencedor do combate

Automotor

Chevrolet Tracker Midnight: veja conclusões de teste

O aspecto escurecido é o destaque estético da versão Midnight do utilitário esportivo compacto Chevrolet Tracker

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter