COLUNA

Baixadistórias, a biografia da Baixada

Rony Magno

Rony Magno, 48 anos é servidor público estadual e pratica a pesquisa histórica de locais e eventos da Baixada Santista como hobby.

Parabéns ao santuário azul

Comentar
Compartilhar
29 SET 2020Por Rony Magno16h00

Neste dia 27 de setembro quem faz aniversário é o Parque Estadual Marinho da Laje de Santos, criado oficialmente em 1993 e que abriga um dos mais fantásticos pontos turísticos do litoral paulista.

Situada a 45 quilômetros da costa, a laje de Santos é uma formação rochosa de 550 metros de comprimento, 33 metros de altura e 185 metros de largura, com um formato que lembra muito uma baleia. As águas em seu redor  possuem temperatura em torno de 23°, variam entre 10 e 40 metros e são de um azul extremamente cristalino, com ótima visibilidade até a profundidade máxima e uma rica vida marinha que inclui a rota anual de arraias-jamanta e a presença ocasional de tartarugas de grande porte e até golfinhos. Com tudo isso, a laje se tornou o melhor ponto de mergulho do Estado.

Não bastasse toda essa riqueza natural, a laje ainda conta com dois atrativos artificiais, ambos muito bem adaptados à sua estrutura sem qualquer prejuízo para o ambiente. Um deles é o barco pesqueiro Moréia, que foi propositalmente afundado (com todos os cuidados necessários para sua correta inserção no espaço submarino) a fim de se transformar em viveiro da fauna aquática e ponto de mergulho; o outro foi um imprevisto ocorrido ao longo de muitos anos que, como já dito, não trouxe qualquer prejuízo, apenas criou uma atração bem pitoresca. Durante muitos e muitos anos barcos pesqueiros ancoravam no lado sudoeste da laje (desde a oficialização do parque toda a pesca é proibida ali).

Porém, devido ao terreno submarino rochoso, as âncoras ficavam fortemente enroscadas nas pedras e sempre acabava sendo mais prático cortar a corda do que desenroscar a pesada peça metálica. Isso fez com que aquela área ficasse repleta de âncoras nas profundezas e recebeu o nome de parcel das âncoras. para chegar até lá e ver todo o exótico jardim de âncoras é preciso ter muita experiência como mergulhador profissional, uma vez que as peças se encontram a 40 metros de profundidade.

O acesso ao parque é controlado, mas há várias operadoras de mergulho na Baixada Santista autorizadas a desenvolver suas atividades lá.  Mesmo pessoas sem qualquer experiência podem facilmente realizar uma modalidade chamada "mergulho de batismo", com preços bem acessíveis, e é fortemente recomendável que todo mundo faça essa maravilhosa visita à Laje de Santos pelo menos uma vez.