De olho no Poder

Após fala sobre pai, Tabata reage e relaciona Marçal a roubo a banco

A deputada Tabata Amaral (PSB) respondeu nesta semana a Pablo Marçal (PRTB), após o empresário insinuar que ela abandonou o pai para ir estudar nos EUA, o que teria causado a morte dele. Ambos são pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo.

“É perverso, é nojento mesmo”, classificou a parlamentar sobre as declarações. “Vim aqui esclarecer para nenhum cretino usar a história do meu pai contra mim novamente”, continuou ela.

Ela contou que o pai era um homem brilhante, mas que não foi diagnosticado em relação à bipolaridade. Com o tempo tornou-se alcoólatra e, mais tarde, passou a usar crack.

Ele acabou cometendo suicídio em 2012, na mesma semana em que Tabata havia sido aprovada para estudar em Havard. Ela ainda estava morando em São Paulo.

“Eu estava aqui quando ele morreu, não estava fora. Então essa baixaria do Pablo Marçal sequer faz sentido. Eu era muito nova, sofri muito e cheguei a desistir de ir para os Estados Unidos”, revelou.

‘Roubo a banco’

A deputada disse que com 18 anos estudava o dia inteiro nos Estados Unidos e trabalhava à noite como babá para mandar dinheiro para a mãe. “Pablo Marçal com a mesma idade fazia parte de uma quadrilha de roubo de bancos”, completou.

Marçal foi condenado em 2010 por participar de uma quadrilha que desviou dinheiro de bancos. Sua pena foi extinta em 2018 por prescrição.

A coluna entrou em contato com a assessoria do empresário para questionar sobre o tema, e vai atualizar esta reportagem caso receba resposta.

O que disse Marçal

Em entrevista à revista IstoÉ, Marçal insinuou que o pai de Tabata morreu após ser abandonado pela filha.

"Eu também tive um pai que foi alcoólatra, mas a família ajudou e ele deixou o alcoolismo. Já sobre o pai dela, ela foi pra Harvard, e o pai dela acabou morrendo. Governar e ser vítima na mesma pessoa não tem como", disse ele.

Na última semana, Marçal disse também que Tabata não daria conta da prefeitura por ser solteira e não ter filhos.

"Ela tem um bom garoto que ela namora, mas não sabe qual o problema de um casamento, o problema do que é ter filho, ela não dá conta de cuidar da cidade como você imagina", afirmou. A deputada  namora o prefeito do Recife, João Campos (PSB).

Foto: Agência Câmara

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Cotidiano

Com salários de até R$ 32 mil, centenas de vagas são abertas em concursos públicos

Há vagas na Baixada Santista

Polícia

Responsável por trazer drogas ao Litoral de SP é preso em São Vicente

Ocorrência se iniciou após uma série de investigações sobre as atividades criminosas

©2024 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software

Newsletter