Vacinação contra Covid-19 começa dia 20, dizem prefeitos após reunião com Pazuello

Data será mantida se a Anvisa aprovar no domingo o uso emergencial de algum imunizante contra a doença

Comentar
Compartilhar
14 JAN 2021Por Gazeta de S. Paulo17h00
As gestões de Salvador, Curitiba, Cuiabá, Maringá, Ribeirão Preto e Araucária (PR) também informaram que a vacinação começa no dia 20Foto: Thiago Neme/Gazeta de São Paulo

O Ministério da Saúde realizou uma reunião com prefeitos nesta quinta-feira (14) para falar sobre a vacinação. Alguns prefeitos afirmaram que, de acordo com o ministro Eduardo Pazuello, a imunização em massa começa na próxima quarta-feira (20) em todo o País.

Contudo, esta data depende da liberação de uma vacina pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como a CoronoVac ou AstraZeneca. A decisão da Anvisa sai no domingo (17).

"De acordo com @ministropazuelo, próxima segunda chegam as 2 milhões de doses da Astrazeneca para estados. Há também as 6 milhões da Coronavac. Anvisa liberando domingo, distribuem na terça para iniciar na quarta, dia 20. Ou seja: 8 milhões de doses para janeiro", escreveu o prefeito de Florianópolis, Gean Loureiro (DEM), em uma rede social.

As gestões de Salvador, Curitiba, Cuiabá, Maringá, Ribeirão Preto e Araucária (PR) também informaram que a vacinação começa no dia 20. "Em Curitiba, vamos vacinar primeiro os grupos prioritários. Os 70 mil profissionais de saúde, e todos os idosos de Curitiba, que são perto de 300 mil pessoas", disse o prefeito Rafael Greca (DEM).

O presidente da Frente Nacional dos Prefeitos, Jonas Donizette, ex-prefeito de Campinas, disse que um eventual atraso no voo que vai buscar doses de vacina na Índia pode alterar a data.

"Embora tenha sido mencionada a data do dia 20, às 10h da manhã, essa data está pendente destes dois fatores: da logística de voo e da aprovação da Anvisa", disse.

Distribuição de doses

Eduardo Pazuello apresentou uma previsão de quantas doses de vacina o Brasil terá nos próximos, de acordo com a Frente Nacional dos Prefeitos. O valor é cumulativo.

Seguindo as informações, o Brasil terá 8 milhões de doses em janeiro, 30 milhões em fevereiro e 80 milhões em abril.