Senador Giordano apresenta projeto 'Bolsa Sopão' para atender população carente

O Senador teve a ideia de usar as sobras ricas dos resíduos de alimentos da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP), bem como da instrumentalização da logística para produção da Sopa e da vitamina

Comentar
Compartilhar
01 MAI 2021Por Da Reportagem14h13
Dados revelados pela própria CEAGESP demonstram que na própria companhia vão para o lixo cerca de 150 toneladas de alimentos por dia.Dados revelados pela própria CEAGESP demonstram que na própria companhia vão para o lixo cerca de 150 toneladas de alimentos por dia.Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

"A fome, às vezes, mata mais rápido que muitas doenças", com essa máxima o Senador Giordano sugeriu seu projeto ao Governo Federal para viabilizar conjuntamente o "Bolsa Sopão", idealizado para iniciar, a princípio, em São Paulo. 

A ideia  chegou ao conhecimento do senador por meio de pedidos feitos por um grupo de empresários que se prontificou em realizar um projeto que desse alimentação às pessoas vulneráveis. A partir dessa proposta, o Senador teve a ideia de usar as sobras ricas dos resíduos de alimentos da Companhia de Entrepostos e Armazéns Gerais de São Paulo (CEAGESP), bem como da instrumentalização da logística para produção da Sopa e da vitamina.

Os empresários solicitaram apoio para que o projeto fosse levado ao conhecimento da Ceagesp. 

A iniciativa pretende realizar o reaproveitamento de legumes, verduras e frutas de empresas que atuam na CEAGESP que perderam os padrões de comercialização, mas que ainda são bons para o consumo humano.

Dados revelados pela própria CEAGESP demonstram que na própria companhia vão para o lixo cerca de 150 toneladas de alimentos por dia, o que corresponde a 1,36% de todo o movimento do local de alimentos. 

"Reduzir as perdas e o desperdício de alimentos é essencial em um Brasil onde o número de pessoas afetadas pela fome tem aumentado, principalmente nesse momento crítico que o país enfrenta na pandemia", observa o Senador.

A iniciativa consiste em diariamente produzir uma sopa com esses alimentos e distribuir aos mais vulneráveis na capital. Na mesma linha, as frutas também serão usadas para fazer vitaminas. 

Segundo o Senador, o projeto é muito simples, e contará com a ajuda das empresas doadoras dos equipamentos, bem como para o preparo e a logística da entrega. 

"Não podemos ficar com braços cruzados, enquanto observamos a fome matar mais rápido que doenças. 
Almejo expandir para todo o Estado, e quem sabe para todo o Brasil", conclui o Senador.

O projeto já foi apresentado ao presidente Jair Bolsonaro e à diretoria da CEAGESP, uma vez que a Companhia está vinculada ao Governo Federal.

Na mesma linha, apresentou o projeto também à Viviane Senna, Presidente do Instituto Airton Senna, uma vez que esse grupo teve como pioneirismo o programa “Sopa na Lata”, operada no âmbito do próprio Ceagesp.