Roubos crescem, e número de vítimas de homicídios estabilizam em SP

Os números considerados mais preocupante pelo secretário da Segurança Mágino Alves Barbosa Filho são aqueles sobre os roubos de cargas

Comentar
Compartilhar
25 FEV 2017Por Folhapress08h30
Secretário Mágino Alves Barbosa Filho apresentou os números nesta sexta-feiraSecretário Mágino Alves Barbosa Filho apresentou os números nesta sexta-feiraFoto: Divulgação/SSP

Dados divulgados pelo governo de São Paulo na tarde desta sexta (24) demonstram um novo crescimento nos crimes de roubos de maneira geral em janeiro deste ano, com destaque a mais um aumento nos roubos de carga (20,92% ) -o oitavo mês seguido de elevação.

Já os homicídios, considerado pelo governo como o principal indicador, ficaram praticamente estáveis no início deste ano, com aumento de 1%. Passaram de 307 para 310 vítimas.

Parte dessa pequena elevação se explica, segundo a Secretaria da Segurança, com a chacina registrada no primeiro dia do ano em Campinas, quando 12 pessoas foram assassinadas.

Os roubos em geral cresceram no Estado 3,23% nesse período. Foram de 25.640 registros em janeiro do ano passado para 26.469 em janeiro de 2017. Desde janeiro do ano passado, a polícia contabilizou 11 meses de aumentos nos casos de roubo.

Os números considerados mais preocupante pelo secretário da Segurança Mágino Alves Barbosa Filho são aqueles sobre os roubos de cargas. Os 20,92% de aumento representam uma elevação de 698 para 844 crimes.

Sobre esse indicativo, o secretário disse que o governo estuda novas estratégias para tentar combatê-lo, inclusive o mapeamento de áreas com maior incidência, embora a jornalistas não tenha conseguido responder qual setor representou maior quantidade alta.

O secretário também negou que tenham sido os números constantemente desfavoráveis que tenham contribuído para a antecipação da troca do comando da Polícia Militar, prevista para maio, mas que deve ser realizada já no começo do próximo mês. "São mudanças absolutamente rotineira", diz.

Os crimes de roubo de banco e latrocínio tiveram aumento proporcionalmente alto, cresceram 44,44% e 42,86% respectivamente, embora a quantidade em números absolutos seja pequena: os roubos a banco subiram de 9 para 13 casos e os latrocínios de 28 para 40 vítimas.

Capital São Paulo

Os números referentes à capital paulista seguem a mesma tendência do Estado, embora os homicídios tenham tido uma pequena variação de queda: 1,7%. Foram 59 vítimas no ano passado quanto 58 neste ano.

Já os roubos em geral também cresceram 3,51% (passaram de 12.645 para 13.089) e os roubos de carga também cresceram 13,32% (foram de 458 para 519 registros). Todas comparações são de janeiro de 2017 com o mesmo período ano passado.