X
Brasil

Roubos aumentam 5% e homicídios atingem menor índice em SP em 2016

Já os homicídios atingiram o menor patamar da série histórica, em 2001. Com isso, o índice de vítimas por 100 mil habitantes chegou a 8,47

Os roubos aumentaram 5% e os homicídios atingiram o menor índice em SP em 2016 / Divulgação

Os assaltos aumentaram no Estado de São Paulo em 2016, com destaque para uma explosão do número roubos de carga, de acordo com dados do governo Geraldo Alckmin (PSDB).

Já os homicídios atingiram o menor patamar da série histórica, em 2001. Com isso, o índice de vítimas por 100 mil habitantes chegou a 8,47.

Os roubos em geral aumentaram 5,19%, passando de 307.392 ocorrências para 323.350 no Estado. Na capital paulista, o aumento foi de 3,18% -variação de 154.706 para 159.633.
A maior variação aconteceu nos casos de roubo de carga, que passaram de 8.490, em 2015, para 9.943, aumento de 17,1%. Na capital, houve alta de 15,7% nos casos, que passaram de 5.066 para 5.866.

"Tenho que reconhecer que precisamos melhorar bastante nossa forma de enfrentamento a este tipo de crime", afirmou o secretário da Segurança Pública, Mágino Barbosa.

Os roubos e furtos de veículos permaneceram praticamente estáveis, com variação negativa de 0,9% nos roubos e 1,6% nos furtos no Estado.

Homicídios

O número de vítimas de homicídio caiu 7,29% no Estado, passando de 3.963, em 2015, para 3.674 no ano passado. Na capital, as mortes passaram de 1.057 para 887, redução de 16,08 -na cidade de São Paulo, os números também são os menores desde 2001.

Apenas no interior houve aumento de vítimas de assassinato, que passaram de 1.869 para 1.921 (3,05%).

O Estado e o município registraram aumento significativo de casos de estupro. As ocorrências subiram de 9.265 para 9.888, 623 casos a mais, o que representa um aumento de 6,72%. Já na cidade de São Paulo a alta foi maior, de 10,16%, passando de 2.087 para 2.299.

"De 70% a 80% dos crimes são cometidos por pessoas que conhecem a vítima. Quando esse tipo de crime acontece entre quatro paredes, a ação preventiva é muito difícil", afirma Barbosa.

Para ajudar a diminuir a incidência do crime, o secretário diz que os policiais militares agora poderão acessar dados de pessoas sobre as quais pesam medidas restritivas, que impedem de se aproximar de alguém, o que poderia ajudar a impedir crimes.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Nova York tem explosão de casos de covid-19 e governo culpa não vacinados

"Continuamos a ver sinais de alerta de picos de covid neste inverno e, embora a nova variante ômicron ainda não tenha sido detectada no estado de Nova York, ela está chegando", escreveu a governadora

GUERREIRA

Itanhaém: catadora de recicláveis faz objetos para se manter

Há cerca de 25 anos, desde 1996, ela recolhe o material reciclável nas ruas, quando veio de São Paulo para morar em Itanhaém

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software