Roteirista de Bruna Surfistinha rebate Bolsonaro: 'Cego e ignorante'

Antonia Pellegrino reagiu a fala do presidente de que a Ancine não pode usar dinheiro público para financiar 'filmes pornográficos'.

Comentar
Compartilhar
20 JUL 2019Por Da Reportagem12h03
A Dj Raquel Pacheco, que inspirou a personagem Bruna Surfistinha.Foto: Reprodução/Instagram

As falas do presidente Jair Bolsonaro (PSL) sobre a Ancine (Agência Nacional de Cinema) durante cerimônia de celebração pelos 200 dias do seu governo está rendendo diversas críticas ao capitão reformado. E a mais dura delas partiu da roteirista e escritora Antonia Pellegrino, que trabalhou no filme Bruna Surfistinha (que foi financiado pela agência).

"Sr. Presidente, Jair Bolsonaro. Como roteirista do filme, sinto-me orgulhosa de ter trabalhado numa produção que empregou 350 pessoas, premiada no Brasil e no mundo e que levou 2 MILHÕES de pessoas ao cinema", escreveu Antonia em seu Twitter.

No evento de comemoração do seu governo, Jair Bolsonaro disse que o dinheiro público 'não pode ser usado para financiar filmes que contrariam o respeito com as famílias'. E usou o filme Bruna Surfistinha como exemplo.

"O que você não deveria admitir é 13 milhões de desempregados, universidades sucateadas e ter laranjas na sua família. Cegueira e ignorância levam à censura. Melhore", disse a roteirista.

Nesta semana o presidente assinou a transferência do Conselho Superior de Cinema - responsável pela política brasileira de audiovisual - do Ministério da Cidadania para a Casa Civil. 

"Se a Ancine não pode seguir regras ou ter filtros, eu encerro ela", finalizou Bolsonaro.

Dj Raquel Pacheco também falou

A Dj Raquel Pacheco, que inspirou a personagem Bruna Surfistinha, também usou as redes sociais para criticar a posição do presidente da república. 

"Sobre mais uma infeliz declaração do Bolsonaro, digo que, antes dele fazer juízo de valor sobre os outros, deveria cuidar da moral da própria família e do nosso país. Ele está cuidando demais do que não precisa e fazendo pouco do que é realmente necessário para termos um país melhor”, finalizou.

*Com informações do Terra

Colunas

Contraponto