X
Brasil

Preço da cebola cai e chuva e calor prejudicam produção de alface e cenoura

Segundo a Conab, a hortaliça produzida na região Sul está abastecendo o mercado nacional e segurando os preços em baixos patamares

Chuvas e calor comprometem produção de alface e cenoura. Preços sobem até 104,87% / Agência Brasil

Os preços da cebola continuaram caindo nas principais centrais de abastecimento (Ceasas) do país em fevereiro. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a hortaliça produzida na região Sul está abastecendo o mercado nacional e segurando os preços em baixos patamares. Em Brasília, o quilo foi vendido no atacado a R$ 1,27 – queda de 15,27%.

Os dados fazem parte do 3º Boletim Prohort de Comercialização de Hortigranjeiros nas Ceasas em 2017, divulgado hoje (21), em Brasília. O estudo analisa os preços de comercialização no atacado em fevereiro.

O relatório mostra também que as chuvas intensas e o excesso de calor nas principais regiões produtoras comprometeram a produção de alface e cenoura, aumentando os preços. A maior alta foi anotada em São Paulo, onde o preço da alface subiu 104,87% e o da cenoura, 59,19%, com o quilo saindo a R$ 2,86 e R$ 2,11, respectivamente.

O mesmo aconteceu com o tomate, cuja cotação em queda, segundo a Conab, desestimulou os produtores, reduzindo a oferta. Assim, em fevereiro, o produto teve aumento de 2,81% a 49,34%. O maior índice foi registrado em Recife, onde o preço do quilo chegou a R$ 1,51. “Caso se mantenha a tendência de redução de área plantada, o tomate poderá pressionar os índices inflacionários nas próximas safras”, informou a Conab.

Já a batata não apresentou movimento uniforme nos mercados analisados. Para se ter uma ideia da variação, o preço caiu 20,83% em Rio Branco (R$1,90 o quilo) e subiu 19,46% em Curitiba (R$ 0,94 o quilo).

Frutas têm queda de preço

Ainda conforme o boletim, banana e maçã apresentaram preços mais baixos em cinco das centrais de abastecimento analisadas, devido ao aumento na oferta dos produtos. A maior queda da banana foi de 31,53% em Curitiba, com preço de R$ 1,57 o quilo. No caso da maçã, destaque para recuo de 26,82% na cotação em Vitória, onde foi vendida por R$ 3,57 o quilo.

O preço do mamão também caiu na maioria das Ceasas, de 2,39% (em Belo Horizonte) a 14,97% (em Rio Branco). A laranja, no entanto, teve alta generalizada apesar da safrinha de São Paulo – os maiores aumentos foram de 60,89% no Acre, onde a fruta foi vendida a R$ 2,01 o quilo, e de 36,87% em São Paulo (R$ 2,49 o quilo).

A análise de preços praticados pelas centrais de abastecimento é feita mensalmente pela Conab a partir de informações fornecidas pelos principais entrepostos de São Paulo, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Pernambuco, Ceará, Acre e Distrito Federal.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Vem Aí

Guarujá sedia 5ª edição do Conexidades de 7 a 11 de junho

Evento ocorrerá das 7 às 19 horas e é uma realização da União dos Vereadores do Estado de São Paulo (Uvebs)

Novidade

Sabesp disponibiliza atendimento pelo WhatsApp para clientes residenciais

Aplicativo de mensagens recebe consultas sobre débitos, pedidos de segunda via da conta e registros de falta d'água, vazamentos ou qualidade da água

©2021 Diário do Litoral. Todos os Direitos Reservados.

Software