Polícia Federal usa scanner para criar maquete virtual do Museu Nacional

Esta maquete em 3D será comparada com a estrutura antiga e, assim, os peritos esperam entender como o incêndio ocorreu

Comentar
Compartilhar
05 SET 2018Por Agência Brasil21h00
Polícia Federal usa scanner para mapeamento de áreas destrídas do Museu Nacional, no RioPolícia Federal usa scanner para mapeamento de áreas destrídas do Museu Nacional, no RioFoto: Agência Brasil

Peritos da Polícia Federal começaram hoje (6) um trabalho de escaneamento do que sobrou da fachada do Museu Nacional. Os agentes estão no local para criar uma maquete virtual do prédio. Esta maquete em 3D será comparada com a estrutura antiga e, assim, os peritos esperam entender como o incêndio ocorreu.

O processo é feito com a ajuda de alguns equipamentos como scanners, posicionados em tripés e do tamanho próximo ao de um aparelho celular, e uma ferramenta em formato de circunferência branca que ajuda na captação das imagens tridimensionais.

Do lado de fora, a fachada do Museu Nacional parece firme, mas através de suas janelas e portais é possível ver o estrago: armários caídos, entulhos, cinzas e estruturas carbonizadas.

Dois carros da Polícia Federal estão no museu e pelo menos dez agentes atuam no local.

Caminhões dos bombeiros também estão a postos na Quinta da Boa Vista, embora não haja mais focos de fogo aparentes.