Coronavírus

Países buscam maneiras de trazer sul-americanos no exterior de volta

A lista de propostas inclui facilitar o retorno de cidadãos da região aos países que nasceram ou residem

Comentar
Compartilhar
17 MAR 2020Por Folhapress21h02
Há também o compromisso de agir para combater notícias falsas e especulaçõesFoto: Fernando Frazão/Agência Brasil

Os chefes de Estado e representantes de Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e Bolívia anunciaram nesta terça-feira (16) a intenção de criar medidas conjuntas para lidar com a pandemia do novo coronavírus. A lista de propostas inclui facilitar o retorno de cidadãos da região aos países que nasceram ou residem.

Os líderes também disseram, em uma declaração conjunta, que pretendem também buscar meios de evitar que a restrição de circulação de pessoas tenha impacto negativo sobre a circulação de bens, especialmente materiais de saúde.

O grupo planeja coordenar compras conjuntas de insumos médicos para obter melhores condições e fazer ações em parceria com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e o CAF (Banco de Desenvolvimento da América Latina) para enfrentar os problemas econômicos trazidos pela pandemia.

Há também o compromisso de agir para combater notícias falsas e especulações.

A declaração conjunta foi emitida após uma reunião por videoconferência na segunda-feira (16), no âmbito do Prosul -organismo internacional criado no ano passado por governantes de direita e de centro-direita na América do Sul.

O presidente Jair Bolsonaro decidiu não participar do encontro. O Brasil foi representado pelo chanceler Ernesto Araújo.