Olimpíada deve ser realizada mesmo sem vacina para Covid-19, diz Thomas Bach

A Olimpíada de Tóquio estava prevista para ocorrer neste ano, porém devido à pandemia, foi adiada para o ano que vem, entre 23 de julho a 8 de agosto

Comentar
Compartilhar
28 SET 2020Por Gazeta de S. Paulo21h04
O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas BachFoto: Tomaz Silva/Agência Brasil

O presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, afirmou que os Jogos Olímpicos de Tóquio serão disputados mesmo que uma vacina contra o novo coronavírus (Covid-19) não seja encontrada antes da abertura. A afirmação de Bach ocorreu durante o Campeonato Mundial de Ciclismo, em Ímola, na Itália. As informações são do jornal “O Estado de S. Paulo”.

A Olimpíada de Tóquio estava prevista para ocorrer neste ano, porém devido á pandemia, foi adiada para o ano que vem, entre 23 de julho a 8 de agosto.

Para Bach, a realização de eventos como o Campeonato Mundial de Ciclismo os "deixa confiantes porque vimos nos últimos meses que é possível grandes eventos esportivos em um ambiente seguro (com público), mesmo sem vacina para a doença".

Ao ser questionado por jornalistas, sobre os "Jogos da Pandemia”, Bach rebateu. “Não serão os Jogos da Pandemia, eles serão os Jogos adequados para o mundo pós-coronavírus. Temos de nos adaptar ao novo mundo em que vivemos. Isso vai ter uma influência nos Jogos Olímpicos, mas eles vão manter o caráter de unir o mundo inteiro. Você verá e sentirá o espírito olímpico em Tóquio, mas adaptado ao novo mundo em que vivemos", disse o dirigente.

*Com informações de Estadão Conteúdo