SEDUC

Óleo chega pela primeira vez a Salvador e atinge ao menos quatro praias

É a primeira vez desde o início do registro de manchas em praias do litoral nordestino, em 2 de setembro, que o óleo é encontrado na capital baiana

Comentar
Compartilhar
11 OUT 2019Por Folhapress15h30
Segundo o Ibama, a presença de óleo já foi registrada em 139 praias de 63 municípios nordestinosFoto: Reprodução/TV Globo

Pequenas pelotas de óleo foram identificadas em pelo menos quatro praias de Salvador desde a madrugada desta sexta-feira (11).

É a primeira vez desde o início do registro de manchas em praias do litoral nordestino, em 2 de setembro, que o óleo é encontrado na capital baiana. Foram identificadas manchas nas praias de Stella Maris, Flamengo, Piatã e Jaguaribe.

A Prefeitura de Salvador, em parceria com o Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), montou um esquema de contenção e retirada do óleo. Desde a noite desta quinta-feira (10), equipes da secretaria de Manutenção e da Limpurb, empresa municipal de coleta de resíduos sólidos, ficaram de prontidão nas praias do norte de Salvador.

"A situação está sob controle. Estamos com equipes nas praias recolhendo o óleo, seguindo todos os protocolos do Ibama", afirma Sergio Guanabara, secretário e Desenvolvimento Urbano de Salvador.

Por enquanto, somente pequenas manchas foram identificadas e ainda não foi necessário o uso de máquinas para recolher o óleo. As manchas chegaram às praias da cidade na véspera do feriado de Nossa Senhora Aparecida, período começa a alta estação para o turismo em Salvador, um dos destinos mais procurados do país.

A possível contaminação das praias preocupa os empresários do trade turístico, que ainda não registraram queda na procura ou cancelamento de reservas. "Qualquer dano ambiental prejudica o turismo. Esperamos que as autoridades ajam com rapidez para sanar este problema e que não haja dano às nossas praias", afirma Glicério Lemos, presidente da ABIH (Associação Brasileira da Indústria de Hotéis) na Bahia.

De acordo com o Ibama, a presença de óleo já foi registrada em 139 praias de 63 municípios nordestinos - números que ainda não inclui as praias de Salvador.

Conforme mostrado pela Folha de S.Paulo nesta quinta-feira, o óleo começou a entrar em manguezais e rios importantes da região como o Itapicuru, o Vaza-barris e até mesmo o São Francisco, atingindo estuários que são berçário de diversas espécies de plantas e animais.

O avanço do óleo prejudica a pesca e o turismo nas vilas que se estendem pelo litoral Norte da Bahia e litoral sul de Sergipe, região que mais tem recebido óleo na última semana.

As possíveis causas das manchas estão sendo investigadas pela Marinha do Brasil.

Uma análise feita pela Petrobras e outra realizada pela Universidade Federal da Bahia apontam que o óleo tem origem na Venezuela.

O governo da Venezuela negou que seja responsável pelo petróleo derramado.